ITC Vertebral

Blog ITC

Artrose Cervical: causas, sintomas, tratamento

Você já sentiu dor no pescoço?

A artrose cervical é uma razão comum por trás desse incômodo.

Imagine suas vértebras cervicais (no pescoço) como peças de um quebra-cabeça. Com o tempo, essas peças podem desgastar, causando dor e dificuldade de movimento. Isso é a artrose cervical em ação.

Neste artigo, vamos entender melhor como isso acontece, o que pode aumentar as chances de desenvolver essa condição e, mais importante, o que podemos fazer a respeito.

À medida que envelhecemos, a artrose na coluna se torna mais comum, afetando a forma como vivemos nossos dias. Ao entendermos melhor essa situação, podemos descobrir maneiras de prevenir problemas no pescoço e encontrar maneiras de viver uma vida mais confortável.

foto de artrose cervical

Causas da artrose cervical

A artrose cervical, muitas vezes referida como osteoartrite do pescoço, é uma condição complexa que resulta do desgaste e deterioração das articulações na região cervical da coluna vertebral.

Várias causas e fatores de risco estão associados ao desenvolvimento dessa doença degenerativa.

foto de artrose cervical

As principais causas são:

Envelhecimento:

O envelhecimento é uma causa muito importante da artrose cervical.

Com o passar dos anos, as articulações e as cartilagens tendem a se desgastar naturalmente, aumentando o risco de desenvolver artrose.

Desgaste Crônico:

Atividades repetitivas ao longo do tempo podem levar ao desgaste das articulações cervicais.

Isso é comum em profissões que exigem movimentos repetitivos ou posturas prolongadas, como trabalho de escritório ou levantamento de peso.

Lesões Anteriores:

Lesões traumáticas na região cervical, como acidentes automobilísticos, quedas ou impactos diretos, podem aumentar o risco de desenvolver artrose cervical no futuro.

Genética:

A predisposição genética também desempenha um papel importante.

Se há histórico familiar de artrose ou outras condições articulares, a probabilidade de desenvolver a condição pode ser maior.

Obesidade:

O excesso de peso coloca uma carga adicional nas articulações, incluindo as da coluna cervical.

Isso pode acelerar o desgaste das cartilagens e aumentar o risco de artrose cervical.

Atividade Física Insuficiente:

A falta de exercício pode contribuir para o enfraquecimento dos músculos ao redor da coluna vertebral, o que pode influenciar negativamente a estabilidade e a saúde das articulações cervicais.

Condições Subjacentes:

Certas condições, como artrite reumatoide, podem aumentar a probabilidade de desenvolver artrose cervical.

É importante notar que, muitas vezes, a artrose cervical resulta de uma combinação de fatores.

O entendimento dessas causas ajuda não apenas na prevenção, mas também no desenvolvimento de estratégias de tratamento mais eficazes para gerenciar os sintomas e melhorar a qualidade de vida dos indivíduos afetados.

Sintomas de artrose cervical

A artrose cervical pode se manifestar de diversas maneiras, e os sintomas podem variar em intensidade de uma pessoa para outra.

foto de artrose cervical

Os principais sintomas são:

Dor no Pescoço:

A dor no pescoço é um sintoma predominante. Pode ser constante ou intermitente, e geralmente piora com o movimento.

Rigidez:

Muitas pessoas com artrose cervical experimentam rigidez no pescoço, especialmente pela manhã ou após períodos prolongados de inatividade.

Dor que Irradia:

A dor da artrose cervical pode se irradiar para os ombros, braços e até mesmo para as mãos. Isso ocorre devido à compressão de nervos na região cervical.

Dores de Cabeça:

A artrose cervical pode estar associada a dores de cabeça, especialmente aquelas que começam na base do crânio e se irradiam para a testa.

Perda de Flexibilidade:

A capacidade de movimentar o pescoço pode ser reduzida, levando a uma perda de flexibilidade e amplitude de movimento.

Crepitação ou Estalos nas Articulações:

Pode ocorrer crepitação ou estalos ao mover o pescoço, resultado do atrito entre as articulações desgastadas.

Formigamento e Fraqueza:

A compressão de nervos devido à artrose cervical pode causar formigamento ou fraqueza nos braços e mãos.

Agravamento com Atividade:

A dor e os sintomas da artrose cervical geralmente pioram com a atividade física, especialmente após longos períodos de esforço.

É importante observar que nem todas as pessoas com artrose cervical experimentam todos esses sintomas, e a gravidade dos sintomas pode variar.

Além disso, a artrose cervical pode ser assintomática em alguns casos.

Se alguém suspeitar de artrose cervical devido a sintomas persistentes, é fundamental buscar orientação profissional para um diagnóstico adequado e desenvolvimento de um plano de tratamento adequado.

Artrose cervical é perigosa?

foto de artrose cervical

A artrose cervical, por si só, não é considerada uma condição perigosa em termos de risco de vida. No entanto, pode causar desconforto significativo e afetar a qualidade de vida de uma pessoa.

A gravidade dos sintomas e o impacto na vida diária podem variar consideravelmente de uma pessoa para outra.

Alguns dos problemas associados à artrose cervical incluem dor crônica no pescoço, rigidez, perda de flexibilidade e, em casos mais graves, comprometimento das funções nervosas devido à compressão de nervos na região cervical. Se não for devidamente gerenciada, a artrose cervical pode levar a complicações, como dores de cabeça persistentes, dificuldade na execução de tarefas diárias e impacto na qualidade do sono.

É importante buscar ajuda especializada se houver suspeita de artrose cervical ou se os sintomas persistirem.

Como tratar a artrose cervical?

Quando falamos em tratamentos para a artrose cervical, a fisioterapia desempenha um papel fundamental, visando aliviar a dor, melhorar a mobilidade e fortalecer os músculos do pescoço.

Por meio de exercícios físicos específicos, terapia manual e outras técnicas específicas, os fisioterapeutas ajudam a restaurar a função articular, reduzir a rigidez e promover a estabilidade cervical.

foto de artrose cervical

Os programas de fisioterapia para artrose cervical, geralmente, incluem:

Foco em fortalecer os músculos do pescoço e ombros para oferecer suporte adicional às articulações.

Técnicas para melhorar a flexibilidade e reduzir a rigidez na região cervical.

Manipulações suaves para melhorar a amplitude de movimento e reduzir a compressão nas articulações.

Uso de calor e eletroterapia para aliviar a dor e promover a cicatrização.

A abordagem personalizada da fisioterapia é indispensável, proporcionando alívio sintomático e promovendo uma melhor qualidade de vida para aqueles que enfrentam essa condição degenerativa.

Tratamento conservador do ITC Vertebral

Oferecemos um programa de fisioterapia completo para as mais diferentes patologias da coluna, onde o objetivo é aliviar a dor, melhorar a mobilidade e restaurar o funcionamento normal das articulações para que você tenha mais qualidade de vida.

Os especialistas do ITC Vertebral utilizam abordagens que respeitam os sinais e sintomas do paciente para seguir com os critérios de tratamento mais adequado.

O tratamento pode envolver:

Osteopatia

Técnica de tratamento fisioterapêutico que se baseia no diagnóstico diferencial e tem como ênfase principal a integridade estrutural e funcional do corpo.

fisioterapeuta fazendo Osteopatia no paciente

Fisioterapia manual

O objetivo das técnicas manuais é devolver a funcionalidade e a biomecânica das estruturas sem causar danos ao paciente, restaurando o movimento máximo e indolor do sistema musculoesquelético no equilíbrio postural.

fisioterapeuta fazendo Fisioterapia manual no paciente

McKenzie

Técnica que encontra a preferência de movimento do paciente.

Ela analisa o quadro e ajuda a reconhecer os exercícios específicos que mais ajudam no alívio das dores.

Isso acontece com a participação ativa do paciente, que aprende comportamentos para o dia a dia.

fisioterapeuta fazendo técnica McKenzie em paciente

Mesa de Tração

Quando indicada, possibilita uma descompressão com cargas controladas.

fisioterapeuta e paciente usando a mesa de tração

Mesa de Flexo-Descompressão

Possibilita que o fisioterapeuta tenha total controle sobre a mobilidade da coluna vertebral do paciente, permitindo os movimentos de flexão, extensão, lateralização e rotação.

paciente usando Mesa de Flexo-Descompressão

Técnicas de fortalecimento muscular

Elaboramos um programa de fortalecimento muscular específico para cada tipo de sintoma e diagnóstico.

paciente fazendo Técnicas de fortalecimento muscular

Esta informação foi útil?
Compartilhe com quem também pode se interessar.