ITC Vertebral

Blog ITC

Artrose na Coluna: Quais os sintomas? É perigoso? Tem cura?

A artrose na coluna, também conhecida como osteoartrite ou osteoartrose, é uma doença degenerativa das articulações da coluna vertebral.

idoso com artrose na coluna

Vamos entender melhor sobre essa condição neste artigo e se existe cura!

Como surge a artrose na coluna?

A coluna vertebral é composta por várias vértebras que estão conectadas por articulações chamadas de facetas articulares.

Essas articulações permitem o movimento e a flexibilidade da coluna, além de proteger a medula espinhal.

Na artrose da coluna, ocorre uma degeneração progressiva e desgaste das cartilagens das facetas articulares.

A cartilagem é uma estrutura que cobre as superfícies das articulações, proporcionando uma superfície lisa para os ossos deslizarem suavemente um sobre o outro durante o movimento. Com a artrose, essa cartilagem começa a se deteriorar, tornando-se mais fina e irregular.

Conforme a doença progride, os ossos adjacentes podem começar a ficarem mais próximos, causando atrito e levando à formação de osteófitos (esporões ósseos ou bico de papagaio), que são crescimentos ósseos adicionais.

Essas alterações podem levar a sintomas como dor, rigidez, diminuição da flexibilidade da coluna e, em casos mais graves, a compressão de nervos ou da medula espinhal.

Quais os sintomas da artrose na coluna?

Os sintomas da artrose na coluna podem variar dependendo da localização e gravidade da doença, mas geralmente incluem:

mulher sentada com dor na coluna

Dor:

É o sintoma mais comum da artrose na coluna. Pode variar em intensidade, desde leve e ocasional até constante e debilitante. A dor geralmente piora com o movimento e pode ser aliviada com o repouso.

Rigidez:

Muitas pessoas com artrose na coluna relatam rigidez na coluna, especialmente após períodos prolongados de inatividade, como ao acordar pela manhã ou após ficar sentado ou em pé por muito tempo.

Dificuldade de movimentação:

À medida que a doença progride, pode ocorrer uma redução na flexibilidade e amplitude de movimento da coluna, tornando mais difícil realizar certos movimentos, como se inclinar ou girar o tronco.

Sensação de atrito ou rangido:

Alguns pacientes com artrose na coluna podem sentir uma sensação de atrito ou ouvir um rangido ao mover a coluna. Isso ocorre devido à deterioração da cartilagem e ao contato próximo entre as superfícies ósseas.

Formigamento e fraqueza:

Em casos mais avançados, a artrose da coluna pode levar à compressão de nervos na região, o que pode causar formigamento, dormência ou fraqueza nos membros inferiores (caso ocorra na região lombar) ou nos membros superiores (caso ocorra na coluna cervical).

Alterações posturais:

Em alguns casos, a artrose na coluna pode levar a alterações na postura, como uma curvatura anormal da coluna (hiperlordose ou hipercifose), que pode ser uma tentativa do corpo de compensar a dor e o desgaste das articulações.

É importante ressaltar que nem todas as pessoas com artrose na coluna apresentarão os mesmos sintomas e que a doença pode progredir de forma diferente em cada indivíduo.

Se você está apresentando sintomas como dor nas costas, rigidez ou qualquer outra preocupação relacionada à coluna, é fundamental buscar a avaliação de um especialista para obter um diagnóstico e o tratamento adequados.

Somente um profissional pode confirmar se a artrose na coluna é a causa dos sintomas e orientar ao tratamento apropriado.

Quem pode ser acometido pela artrose na coluna?

A artrose na coluna pode afetar pessoas de diferentes idades, mas é mais comum em indivíduos mais velhos.

Algumas das principais características que aumentam o risco de desenvolver artrose na coluna incluem:

mulher no carro com artrose na coluna

Idade:

A incidência de artrose aumenta com a idade. À medida que envelhecemos, as estruturas da coluna, como as articulações e a cartilagem, podem se desgastar gradualmente, tornando-nos mais suscetíveis à doença.

Fatores genéticos:

Existe uma predisposição genética para o desenvolvimento da artrose. Se houver histórico familiar da doença, o risco de ser afetado é maior.

Lesões prévias:

Traumas ou lesões anteriores na coluna vertebral podem contribuir para o desenvolvimento da artrose ao longo do tempo.

Sobrepeso e obesidade:

O excesso de peso coloca uma carga adicional na coluna vertebral, aumentando a pressão sobre as articulações. Isso pode acelerar o desgaste da cartilagem e aumentar o risco de artrose na coluna.

Estilo de vida sedentário:

A falta de atividade física pode enfraquecer a musculatura ao redor da coluna e diminuir a flexibilidade, o que pode aumentar a pressão sobre as articulações da coluna.

Atividades de alto impacto repetitivas:

Algumas atividades ou profissões que exigem movimentos repetitivos ou impacto excessivo na coluna podem aumentar o risco de desenvolver artrose na coluna.

Outras condições:

Certas condições, como artrite reumatoide, gota e anormalidades congênitas na coluna vertebral, podem aumentar a probabilidade de desenvolver artrose.

É importante ressaltar que nem todas as pessoas que apresentam esses fatores de risco desenvolverão artrose na coluna.

Da mesma forma, pessoas sem esses fatores de risco podem ser acometidas pela doença.

A artrose é uma condição complexa e multifatorial, e a interação entre diversos fatores pode contribuir para o seu surgimento.

Para minimizar o risco de desenvolver artrose na coluna e cuidar da saúde da coluna vertebral, é recomendado manter um estilo de vida ativo, adotar uma dieta equilibrada, manter o peso adequado, evitar posturas prolongadas e, sempre que necessário, procurar orientação profissional para o diagnóstico precoce e tratamento adequado de quaisquer problemas relacionados à coluna.

Como tratar a artrose na coluna e recuperar a qualidade de vida?

fisioterapeuta avaliando coluna de paciente

O tratamento para a artrose na coluna pode incluir, principalmente, medidas como exercícios de fortalecimento da musculatura e fisioterapia.

O tratamento tem como objetivo aliviar os sintomas, melhorar a função da coluna e retardar a progressão da doença.

É essencial consultar um especialista em coluna para avaliar os sintomas e determinar o melhor plano de tratamento para a artrose na coluna, considerando a gravidade da condição e as necessidades específicas de cada paciente.

Tratamento conservador do ITC Vertebral para doença degenerativa

Oferecemos um programa de fisioterapia completo para as mais diferentes patologias da coluna, onde o objetivo é aliviar a dor na coluna e outros sintomas, melhorar a mobilidade e restaurar o funcionamento normal das articulações para que você tenha mais qualidade de vida.

Os especialistas do ITC Vertebral utilizam abordagens que respeitam os sinais e sintomas do paciente para seguir com os critérios de tratamento.

O tratamento pode envolver:

Osteopatia

Técnica de tratamento fisioterapêutico que se baseia no diagnóstico diferencial e tem como ênfase principal a integridade estrutural e funcional do corpo.

fisioterapeuta fazendo Osteopatia no paciente

Fisioterapia manual

O objetivo das técnicas manuais é devolver a funcionalidade e a biomecânica das estruturas sem causar danos ao paciente, restaurando o movimento máximo e indolor do sistema musculoesquelético no equilíbrio postural.

fisioterapeuta fazendo Fisioterapia manual no paciente

McKenzie

Técnica que encontra a preferência de movimento do paciente.

Ela analisa o quadro e ajuda a reconhecer os exercícios específicos que mais ajudam no alívio das dores.

Isso acontece com a participação ativa do paciente, que aprende comportamentos para o dia a dia.

fisioterapeuta fazendo técnica McKenzie em paciente

Mesa de Tração

Quando indicada, possibilita uma descompressão com cargas controladas.

fisioterapeuta e paciente usando a mesa de tração

Mesa de Flexo-Descompressão

Possibilita que o fisioterapeuta tenha total controle sobre a mobilidade da coluna vertebral do paciente, permitindo os movimentos de flexão, extensão, lateralização e rotação.

paciente usando Mesa de Flexo-Descompressão

Técnicas de fortalecimento muscular

Elaboramos um programa de fortalecimento muscular específico para cada tipo de sintoma e diagnóstico.

paciente fazendo Técnicas de fortalecimento muscular

 

Sobre o autor