ITC Vertebral

Blog ITC

Bico de Papagaio: o que é, sintomas, causas e tratamento

O termo “bico de papagaio” é uma expressão popular utilizada para descrever a osteofitose, que é o crescimento anormal de pequenos ossos (osteófitos) nas articulações vertebrais.

foto de bico de papagaio

O bico de papagaio recebe esse nome devido à semelhança visual dos osteófitos com o bico de uma ave.

Vamos entender melhor, neste artigo, as causas, sintomas e se existe tratamento para o bico de papagaio.

Causas do bico de papagaio na coluna

A osteofitose está frequentemente associada à osteoartrite e à degeneração das articulações.

As causas específicas, incluem:

foto de bico de papagaio

Envelhecimento:

O processo natural de envelhecimento está correlacionado ao desgaste das articulações. À medida que as pessoas envelhecem, a cartilagem nas articulações tende a se deteriorar, aumentando o risco de osteofitose.

Osteoartrite:

A osteoartrite é uma condição degenerativa das articulações que resulta na perda progressiva de cartilagem. Em resposta a esse desgaste, o corpo pode formar osteófitos como uma tentativa de estabilizar a articulação afetada.

Lesões articulares:

Traumas ou lesões nas articulações, como fraturas articulares ou ligamentares, podem desencadear a formação de osteófitos como parte do processo de cicatrização. Esses osteófitos podem se desenvolver como uma resposta do corpo à instabilidade ou à necessidade de reforço estrutural.

Desalinhamento das articulações:

Anormalidades na postura ou desalinhamento das articulações, muitas vezes devido a fatores genéticos ou atividades repetitivas, podem contribuir para o desenvolvimento de osteofitose.

Fatores genéticos:

A predisposição genética também desempenha um papel na suscetibilidade à osteoartrite e, consequentemente, à osteofitose. Algumas pessoas podem herdar uma maior propensão a desenvolver problemas nas articulações.

Obesidade:

O excesso de peso coloca uma carga adicional nas articulações, especialmente nas articulações de carga, como a coluna. Isso pode acelerar o desgaste da cartilagem e contribuir para a formação de osteófitos.

Atividade física inadequada:

O uso excessivo ou inadequado das articulações, especialmente em atividades de impacto, pode contribuir para o desgaste articular e, por consequência, para a formação de osteófitos.

É importante notar que a osteofitose, muitas vezes, ocorre como parte do processo natural de envelhecimento e degeneração das articulações.

Fatores de estilo de vida e cuidados com a saúde, como manter um peso saudável e praticar exercícios físicos adequados, podem ajudar a minimizar o risco de desenvolvimento de osteofitose.

Sintomas do bico de papagaio na coluna

foto de bico de papagaio

Os sintomas associados aos bicos de papagaio na coluna podem variar em intensidade e natureza.

A questão crítica ocorre quando os osteófitos crescem a ponto de comprimir as estruturas circundantes, especialmente as raízes nervosas que se ramificam a partir da medula espinhal e saem entre as vértebras. Quando ocorre essa compressão nervosa, os sintomas associados ao bico de papagaio tornam-se evidentes.

Essa compressão pode levar a uma série de sintomas que veremos a seguir. Portanto, é fundamental compreender que os osteófitos, por si só, podem ser assintomáticos. São as consequências da compressão nervosa que, geralmente, resultam nos sintomas observados em pessoas com bico de papagaio.

Algumas pessoas com o problema podem experimentar sintomas leves, enquanto outras podem enfrentar desconforto mais significativo.

Os sintomas comuns incluem:

foto de bico de papagaio

Dor nas costas: A dor é um sintoma predominante, geralmente localizada na região afetada pelos osteófitos (especialmente na região lombar ou na região cervical da coluna). Pode ser uma dor crônica ou intermitente e variar em intensidade.

Rigidez: Muitas pessoas com osteofitose experimentam rigidez nas articulações afetadas, especialmente após períodos prolongados de inatividade, como ao acordar pela manhã.

Limitação de movimento: A presença de osteófitos pode reduzir a amplitude de movimento das articulações afetadas, causando limitações na flexibilidade e na capacidade de realizar certas atividades.

Dor irradiada: Em alguns casos, os osteófitos podem comprimir nervos adjacentes, resultando em dor irradiada para outras áreas do corpo. Por exemplo, osteófitos na coluna cervical podem causar dor que se estende para os ombros e braços.

Sensação de formigamento e dormência: A compressão de nervos também pode levar a sensações de formigamento, dormência ou fraqueza nos membros afetados.

Estalos ou crepitação: O movimento das articulações com osteófitos pode produzir estalos ou crepitação, sons que podem ser audíveis durante a movimentação.

Inflamação: A presença de osteófitos pode desencadear uma resposta inflamatória na articulação, contribuindo para o desconforto.

Às vezes, os osteófitos podem ser detectados incidentalmente em exames de imagem realizados por outras razões, e a pessoa pode não estar ciente de sua presença.

O diagnóstico preciso é fundamental para determinar a causa subjacente dos sintomas. Caso esses sintomas estejam presentes, é aconselhável consultar um profissional, como um fisioterapeuta, para uma avaliação adequada.

Bico de papagaio na coluna tem cura?

foto de bico de papagaio

O bico de papagaio na coluna, clinicamente conhecido como osteofitose, geralmente não tem uma cura definitiva, pois é, muitas vezes, associado ao processo natural de envelhecimento e desgaste das articulações.

No entanto, existem várias opções de tratamento que visam aliviar os sintomas, melhorar a função e, em alguns casos, retardar a progressão da condição.

A fisioterapia desempenha um papel importante no manejo da osteofitose na coluna, com o objetivo de proporcionar uma melhor qualidade de vida aos pacientes.

Avaliação e Diagnóstico:

Fisioterapeutas especializados realizam uma avaliação detalhada para entender a gravidade dos sintomas, identificar áreas afetadas e avaliar a função musculoesquelética.

Desenvolvimento de Programas de Exercícios:

Elaboração de programas de exercícios personalizados que visam fortalecer os músculos ao redor das articulações afetadas. Exercícios específicos podem ajudar a melhorar a estabilidade, flexibilidade e resistência, reduzindo assim a sobrecarga nas articulações.

Mobilização Articular:

Técnicas de mobilização articular são aplicadas para melhorar a amplitude de movimento das articulações afetadas. Isso pode contribuir para reduzir a rigidez e melhorar a flexibilidade.

foto de bico de papagaio

A fisioterapia especializada desempenha um papel essencial, especialmente nas fases iniciais da condição ou quando os sintomas não são tão graves a ponto de exigir intervenções mais invasivas.

A abordagem focada na reabilitação musculoesquelética pode ajudar a retardar a progressão da osteofitose, melhorar a função e reduzir a dependência de medicamentos para controle da dor.

É importante que a fisioterapia seja adaptada às necessidades individuais de cada paciente, levando em consideração a localização dos osteófitos e a gravidade dos sintomas.

Tratamento conservador do ITC Vertebral

Oferecemos um programa de fisioterapia completo para as mais diferentes patologias da coluna, onde o objetivo é aliviar a dor, melhorar a mobilidade e restaurar o funcionamento normal das articulações para que você tenha mais qualidade de vida.

Os especialistas do ITC Vertebral utilizam abordagens que respeitam os sinais e sintomas do paciente para seguir com os critérios de tratamento mais adequado.

O tratamento pode envolver:

Osteopatia

Técnica de tratamento fisioterapêutico que se baseia no diagnóstico diferencial e tem como ênfase principal a integridade estrutural e funcional do corpo.

fisioterapeuta fazendo Osteopatia no paciente

Fisioterapia manual

O objetivo das técnicas manuais é devolver a funcionalidade e a biomecânica das estruturas sem causar danos ao paciente, restaurando o movimento máximo e indolor do sistema musculoesquelético no equilíbrio postural.

fisioterapeuta fazendo Fisioterapia manual no paciente

McKenzie

Técnica que encontra a preferência de movimento do paciente.

Ela analisa o quadro e ajuda a reconhecer os exercícios específicos que mais ajudam no alívio das dores.

Isso acontece com a participação ativa do paciente, que aprende comportamentos para o dia a dia.

fisioterapeuta fazendo técnica McKenzie em paciente

Mesa de Tração

Quando indicada, possibilita uma descompressão com cargas controladas.

fisioterapeuta e paciente usando a mesa de tração

Mesa de Flexo-Descompressão

Possibilita que o fisioterapeuta tenha total controle sobre a mobilidade da coluna vertebral do paciente, permitindo os movimentos de flexão, extensão, lateralização e rotação.

paciente usando Mesa de Flexo-Descompressão

Técnicas de fortalecimento muscular

Elaboramos um programa de fortalecimento muscular específico para cada tipo de sintoma e diagnóstico.

paciente fazendo Técnicas de fortalecimento muscular

Esta informação foi útil?
Compartilhe com quem também pode se interessar.