ITC Vertebral

Blog ITC

O que é Cefaleia Cervicogênica? Como tratar?

A cefaleia cervicogênica é uma condição clínica caracterizada por dores de cabeça que têm origem na região cervical, ou seja, no pescoço.

foto de cefaleia cervicogênica

Diferentemente de outras formas de cefaleia, a cefaleia cervicogênica está associada a disfunções musculoesqueléticas na região cervical, que podem resultar em sintomas dolorosos que se espalham para a cabeça.

Esta condição, muitas vezes, é subdiagnosticada e mal compreendida, o que ressalta a importância de investigar mais a fundo suas causas, manifestações clínicas e abordagens terapêuticas.

A relação entre a coluna cervical e a dor de cabeça tem sido objeto de estudo em diversos campos da saúde, incluindo neurologia, ortopedia, fisioterapia e medicina esportiva.

A dor cervicogênica pode manifestar-se como uma dor unilateral ou bilateral na cabeça, frequentemente acompanhada de rigidez e desconforto na região do pescoço. A compreensão aprofundada desses sintomas é crucial para um diagnóstico preciso e para o desenvolvimento de estratégias terapêuticas eficazes.

Ao compreendermos melhor a cefaleia cervicogênica, podemos desenvolver abordagens terapêuticas mais eficazes e personalizadas, proporcionando alívio aos pacientes afetados.

Descubra agora mais detalhes sobre a cefaleia cervicogênica, suas causas, sintomas e a melhor forma de tratar!

Causas da cefaleia cervicogênica

A cefaleia cervicogênica surge quando há um distúrbio ou disfunção na região cervical, especialmente nos tecidos moles, articulações ou nervos do pescoço, que resulta em dor referida na cabeça.

A condição está frequentemente associada a problemas musculoesqueléticos e pode ter diversas causas.

Abaixo estão alguns dos principais fatores que podem contribuir para o desenvolvimento da cefaleia cervicogênica:

foto de cefaleia cervicogênica

Lesões e Traumas:

Lesões no pescoço, como as resultantes de acidentes automobilísticos (lesão por chicote) ou quedas, podem desencadear a cefaleia cervicogênica.

Lesões esportivas que afetam a região cervical também são uma possível causa.

Distúrbios Articulares:

Disfunções nas articulações cervicais, como a articulação atlantoaxial e a articulação occipitocervical, podem contribuir para a dor.

A osteoartrite cervical também pode desempenhar um papel no desenvolvimento da cefaleia cervicogênica.

Hérnias de Disco:

Hérnias de disco na região cervical podem comprimir nervos e causar dor referida na cabeça.

Irritação Nervosa:

A irritação dos nervos cervicais, especialmente o nervo occipital, pode resultar em dor que se manifesta na cabeça.

É importante destacar que, em muitos casos, a cefaleia cervicogênica pode coexistir com outras formas de cefaleia, como enxaqueca ou cefaleia tensional, o que pode complicar o diagnóstico.

Um profissional de saúde qualificado, como um fisioterapeuta especializado, pode realizar uma avaliação completa para determinar a causa subjacente da cefaleia e elaborar um plano de tratamento adequado.

Sintomas da cefaleia cervicogênica

A cefaleia cervicogênica é caracterizada por dor de cabeça que tem origem na região cervical (pescoço).

Os sintomas podem variar entre os indivíduos, mas geralmente incluem:

foto de cefaleia cervicogênica

Dor Unilateral ou Bilateral:

A dor de cabeça associada à cefaleia cervicogênica pode ser unilateral (afetando um lado da cabeça) ou bilateral (afetando ambos os lados).

Irradiação da Dor:

A dor, muitas vezes, inicia-se na parte posterior do pescoço e pode se irradiar para a parte superior da cabeça, testa, órbitas oculares e região temporal.

Caráter Pulsátil ou Latejante:

A dor pode ser descrita como pulsátil ou latejante, semelhante às características de outras formas de cefaleia.

Desencadeamento por Movimentos do Pescoço:

Certos movimentos do pescoço ou posições podem desencadear ou agravar a dor. Isso inclui movimentos de rotação, inclinação ou extensão do pescoço.

Rigidez Muscular no Pescoço:

Muitas pessoas com cefaleia cervicogênica experimentam rigidez muscular na região do pescoço, podendo haver tensão palpável nos músculos cervicais.

Dor Aumentada com a Palpação:

A palpação da musculatura cervical ou de pontos específicos na região do pescoço pode aumentar a dor.

Sintomas Visuais e Auditivos:

Algumas pessoas podem relatar sintomas visuais, como visão turva ou alterações na acuidade visual, bem como sintomas auditivos, como zumbido nos ouvidos.

Náusea e Sensibilidade à Luz e Som:

Assim como em outras formas de cefaleia, a cefaleia cervicogênica pode ser acompanhada de sintomas como náusea, sensibilidade à luz (fotofobia) e sensibilidade ao som (fonofobia).

Duração Variável da Crise:

As crises de cefaleia cervicogênica podem durar horas a dias e, em alguns casos, serem recorrentes.

Como tratar a cefaleia cervicogênica?

foto de cefaleia cervicogênica

A escolha do tratamento dependerá da gravidade dos sintomas, da frequência das crises e das características específicas do paciente.

A fisioterapia desempenha um papel fundamental no tratamento da cefaleia cervicogênica, fornecendo abordagens terapêuticas específicas para aliviar a dor e melhorar a função cervical.

O fisioterapeuta emprega diversas estratégias, começando por uma avaliação detalhada para identificar as causas específicas da cefaleia.

Intervenções com exercícios terapêuticos são importantes, visando fortalecer e alongar os músculos do pescoço, melhorar a postura e corrigir desequilíbrios musculares.

Além disso, técnicas de mobilização e manipulação podem ser empregadas para melhorar a mobilidade das articulações cervicais, reduzindo a irritação nos nervos e promovendo uma melhor biomecânica.

A fisioterapia também inclui modalidades como a aplicação de calor ou frio e liberação miofascial para aliviar a tensão muscular na região cervical.

A educação do paciente sobre ergonomia e práticas de autocuidado é uma parte essencial do tratamento fisioterapêutico para a cefaleia cervicogênica. Isso ajuda o paciente a compreender e adotar mudanças no estilo de vida que possam prevenir a recorrência dos sintomas.

A abordagem individualizada da fisioterapia, adaptada às necessidades específicas de cada paciente, pode proporcionar alívio significativo da cefaleia cervicogênica, melhorando a qualidade de vida e promovendo uma recuperação sustentável a longo prazo.

Tratamento conservador do ITC Vertebral

Oferecemos um programa de fisioterapia completo para as mais diferentes patologias da coluna, onde o objetivo é aliviar a dor, melhorar a mobilidade e restaurar o funcionamento normal das articulações para que você tenha mais qualidade de vida.

Os especialistas do ITC Vertebral utilizam abordagens que respeitam os sinais e sintomas do paciente para seguir com os critérios de tratamento mais adequado.

O tratamento pode envolver:

Osteopatia

Técnica de tratamento fisioterapêutico que se baseia no diagnóstico diferencial e tem como ênfase principal a integridade estrutural e funcional do corpo.

fisioterapeuta fazendo Osteopatia no paciente

Fisioterapia manual

O objetivo das técnicas manuais é devolver a funcionalidade e a biomecânica das estruturas sem causar danos ao paciente, restaurando o movimento máximo e indolor do sistema musculoesquelético no equilíbrio postural.

fisioterapeuta fazendo Fisioterapia manual no paciente

McKenzie

Técnica que encontra a preferência de movimento do paciente.

Ela analisa o quadro e ajuda a reconhecer os exercícios específicos que mais ajudam no alívio das dores.

Isso acontece com a participação ativa do paciente, que aprende comportamentos para o dia a dia.

fisioterapeuta fazendo técnica McKenzie em paciente

Mesa de Tração

Quando indicada, possibilita uma descompressão com cargas controladas.

fisioterapeuta e paciente usando a mesa de tração

Mesa de Flexo-Descompressão

Possibilita que o fisioterapeuta tenha total controle sobre a mobilidade da coluna vertebral do paciente, permitindo os movimentos de flexão, extensão, lateralização e rotação.

paciente usando Mesa de Flexo-Descompressão

Técnicas de fortalecimento muscular

Elaboramos um programa de fortalecimento muscular específico para cada tipo de sintoma e diagnóstico.

paciente fazendo Técnicas de fortalecimento muscular

Esta informação foi útil?
Compartilhe com quem também pode se interessar.