ITC Vertebral

Blog ITC

Cervicobraquialgia: sintomas e tratamento

A cervicobraquialgia é uma condição que afeta o pescoço e o plexo braquial, uma rede de nervos que vai do pescoço até ao braço, causando dores nessas regiões.

A cervicobraquialgia é uma condição que afeta o pescoço e o plexo braquial, uma rede de nervos que vai do pescoço até ao braço, causando dores nessas regiões.

Neste artigo, vamos discutir o que é a cervicobraquialgia, quais são as suas causas e como ela pode ser tratada. Vamos também explorar se essa condição pode ser curada.

Boa leitura!

O que é cervicobraquialgia?

A cervicobraquialgia se trata de dores que atingem a região do pescoço, podendo irradiar para o braço.

Os sintomas podem ser laterais ou bilaterais.

Essa é uma condição que pode ser provocada por diferentes fatores.

O que causa a cervicobraquialgia?

Há muitas causas potenciais para esta condição.

Algumas mais comuns incluem:

– Traumatismo do pescoço ou da cabeça;

– Tumores no pescoço ou na cabeça;

– Infecções no pescoço ou na cabeça;

– Compressão nervosa no pescoço ou ombro.

Quais são os sintomas da cervicobraquialgia?

O sintoma mais comum da cervicobobraquialgia é a dor.

O sintoma mais comum da cervicobobraquialgia é a dor.

Essa dor pode ser aguda ou crônica, e pode irradiar para o ombro ou para o braço.

Outros sintomas incluem:

– Fraqueza muscular no braço;

– Dormência ou formigamento no braço, na mão e/ou nos dedos;

– Dor no pescoço ou queimação na região;

– Queimação ou dor na região do ombro ou na parte superior das costas;

– Perda de sensibilidade;

– Tensão nos músculos do pescoço;

– Dor de cabeça que começa na base do crânio e se irradia para cima;

– Dificuldade de virar a cabeça de um lado para o outro;

– Problemas para segurar objetos.

Existem grupos de risco para desenvolver a cervicobraquialgia?

A maioria dos casos de cervicobraquialgia atinge adultos, tornando-se mais comum nas mulheres do que nos homens.

Porém, existem alguns fatores de risco que podem aumentar as hipóteses de desenvolver cervicobobraquialgia, como:

– Histórico de lesões no pescoço ou na cabeça;

– Estilo de vida sedentário;

– Obesidade.

Como é diagnosticada a cervicobraquialgia?

A Cervicobraquialgia é diagnosticada através de uma combinação de exames físicos e testes de imagem.

O exame físico ajudará a descartar outras condições que podem causar essa dor.

Os testes de imagem, como ressonância magnética, podem ser utilizados para confirmar o diagnóstico.

fisioterapeuta analisando a Cervicobraquialgia

Teste de Spurling

O teste de Spurling também é muito importante para diagnosticar a condição.

Trata-se de uma manobra de exame físico usada para diagnosticar, na verdade, várias condições neurológicas.

É um teste importante que pode ajudar os profissionais a descartarem ou confirmarem diagnósticos de outras condições, como:

Radiculopatia cervical

A radiculopatia cervical é uma condição na qual a pressão sobre a raiz nervosa da coluna cervical causa dor, formigamento e dormência no ombro, braço ou mão.

Geralmente, é causada por alterações degenerativas nas vértebras que comprimem ou apertam uma raiz nervosa quando ela sai da coluna vertebral.

Os sintomas variam de acordo com a localização e a gravidade da compressão da raiz nervosa.

Síndrome do desfiladeiro torácico

A síndrome do desfiladeiro torácico é um grupo de distúrbios que ocorrem quando há compressão, irritação ou lesão dos nervos e/ou vasos sanguíneos no desfiladeiro torácico.

A saída torácica é uma área entre a clavícula e a primeira costela. Os sintomas variam, mas podem incluir dor, dormência, formigamento e fadiga no pescoço, ombro, braço ou mão.

A síndrome do desfiladeiro torácico pode ser causada por vários fatores, incluindo trauma de uma lesão ou acidente, estresse repetitivo sobre os músculos da área, obesidade ou ganho de peso, bem como defeitos congênitos (de nascimento).

Em alguns casos, a condição também pode ser causada pela compressão dos nervos de tumores ou cistos.

Hérnia de disco

Condição que ocorre quando o núcleo interno macio de um disco espinhal se rompe através de sua camada externa, criando pressão sobre os nervos circundantes.

Isso pode causar dor local na coluna ou irradiação para membros superiores ou inferiores, bem como sensações de dormência ou formigamento.

Embora as hérnias de disco possam ser causadas por lesões, as alterações relacionadas à idade na coluna vertebral são o principal fator de risco.

Estenose espinhal

A estenose espinhal é uma condição que ocorre quando o canal espinhal se estreita, comprimindo as raízes nervosas e a medula espinhal.

Esse estreitamento pode causar dor, dormência ou fraqueza nas pernas e nos braços, além de dificuldade para caminhar.

Os sintomas podem ser leves no início, mas podem piorar com o tempo se não forem tratados.

Doença degenerativa do disco

A doença degenerativa do disco (DDD) é uma condição que afeta os discos da coluna vertebral, causando dor e diminuição da mobilidade.

A condição ocorre quando um ou mais discos intervertebrais da coluna vertebral se deterioram devido ao desgaste relacionado à idade.

A DDD pode causar dor lombar crônica, bem como dor que se irradia para baixo em uma das pernas.

Também pode causar dormência e formigamento nas pernas, fraqueza na área da dor e dificuldade para ficar em pé.

Como é feito o teste de Spurling?

No teste de Spurling, o examinador aplica pressão por trás na cabeça e o pescoço (coluna cervical).

Essa manobra é projetada para reproduzir os sintomas do paciente, a fim de confirmar o diagnóstico.

O teste de Spurling pode fornecer informações valiosas sobre determinadas condições que, de outra forma, poderiam ser difíceis de diagnosticar.

Geralmente, ele é usado como parte de uma estratégia de diagnóstico mais ampla, juntamente com exames de imagem ou outros exames físicos.

A compreensão dos resultados do teste de Spurling pode ajudá-lo a entender melhor sua condição e a melhor forma de tratá-la.

Tratamento da cervicobraquialgia

A cervicobraquialgia é, geralmente, tratada, sobretudo, com recursos da Fisioterapia.

A cervicobraquialgia é, geralmente, tratada, sobretudo, com recursos da Fisioterapia.

A fisioterapia especializada pode ajudar no alívio dos sintomas e na prevenção de crises.

Cirurgia, normalmente, não é a primeira alternativa de tratamento da cervicobraquialgia.

O tratamento pode envolver:

Osteopatia

Técnica de tratamento fisioterapêutico que se baseia no diagnóstico diferencial e tem como ênfase principal a integridade estrutural e funcional do corpo.

fisioterapeuta fazendo Osteopatia no paciente

Fisioterapia manual

O objetivo das técnicas manuais é devolver a funcionalidade e a biomecânica das estruturas sem causar danos ao paciente, restaurando o movimento máximo e indolor do sistema musculoesquelético no equilíbrio postural.

fisioterapeuta fazendo Fisioterapia manual no paciente

McKenzie

Técnica que encontra a preferência de movimento do paciente.

Ela analisa o quadro e ajuda a reconhecer os exercícios específicos que mais ajudam no alívio das dores.

Isso acontece com a participação ativa do paciente, que aprende comportamentos para o dia a dia.

fisioterapeuta fazendo técnica McKenzie em paciente

Mesa de Tração

Quando indicada, possibilita uma descompressão com cargas controladas.

fisioterapeuta e paciente usando a mesa de tração

Mesa de Flexo-Descompressão

Possibilita que o fisioterapeuta tenha total controle sobre a mobilidade da coluna vertebral do paciente, permitindo os movimentos de flexão, extensão, lateralização e rotação.

paciente usando Mesa de Flexo-Descompressão

Técnicas de fortalecimento muscular

Elaboramos um programa de fortalecimento muscular específico para cada tipo de sintoma e diagnóstico.

paciente fazendo Técnicas de fortalecimento muscular

Conclusão

A escoliose é uma condição complexa que afeta as pessoas de diferentes maneiras, por isso é importante entender os vários tratamentos e seus benefícios. A fisioterapia pode ajudar a melhorar a flexibilidade e a força na área da coluna afetada pela escoliose, permitindo uma postura e movimentos mais normais. Recursos fisioterapêuticos específicos podem ser usados para reduzir a curvatura da coluna vertebral ou impedi-la de piorar.

Em casos mais graves, a cirurgia pode ser recomendada para corrigir a curvatura ou fundir áreas da coluna vertebral para obter estabilidade.

Independentemente da opção de tratamento escolhida, é importante encontrar um profissional de saúde experiente e um espaço de tratamento adequado que possa oferecer cuidados e suporte seguros. Com o plano de tratamento correto, as pessoas com escoliose podem ter uma vida saudável e ativa sem medo de que a condição se agrave ou cause dor.

Sobre o autor