Cirurgia De Escoliose É Perigosa?

A escoliose é uma patologia que envolve a coluna vertebral. Embora, em muitos casos, não haja indicação cirúrgica, quando há, é natural que o paciente questione se a cirurgia de escoliose é perigosa. 

Agendar sua Avaliação

Assim, vamos descrever o que é escoliose, quais as indicações da cirurgia para escoliose e se a cirurgia de escoliose é perigosa ou não. 

O que é escoliose?

mulher de costas ccom as mãos no pescoço e lombar identificando uma escoliose

A escoliose é uma curvatura da coluna.

Considerada uma curvatura da coluna para os lados, a escoliose faz com que a aparência da coluna vertebral lembre a letra “C” ou a letra “S”. 

Ela pode atingir crianças, adolescentes ou adultos. 

Tipos de escoliose

menino sendo examinado em consultório

Existem vários tipos de escoliose.

Podemos classificar a escoliose em quatro tipos principais: 

Agendar sua Avaliação

Escoliose congênita 

Como o próprio nome diz, é o tipo de escoliose presente ao nascer. Ela ocorre devido à má formação das vértebras no bebê. 

Neuromuscular 

Nesse tipo de escoliose, relacionada muitas vezes por outros tipos de patologias, como espinha bífida ou paralisias, há controle muscular inadequado, o que leva à curvatura da coluna. 

Escoliose idiopática 

É o tipo mais comum, quando a escoliose não apresenta causa conhecida aparente. Pode afetar tanto crianças, como adolescentes e adultos. 

Degenerativa 

Acomete a população adulta, muito em função do envelhecimento e desgastes dos discos intervertebrais. 

Sintomas 

homem de costas apresentando ilustração da ocluna inflamada por escoliose

A escoliose pode ser assintomática ou aprensetar dores na região.

Muitas pessoas vivem com escoliose por muitos anos, sem apresentarem nenhum sintoma. Só vão descobrir que possuem a condição clínica através de alguma radiografia da coluna vertebral, muitas vezes, inclusive, tiradas por outras razões. 

Porém, em alguns casos, quando a curvatura da coluna vertebral é extremamente acentuada, a escoliose promove dores na região. 

Um sinal bastante característico, inclusive, é a chamada gibosidade costal, que é quando há o aumento unilateral das costelas. 

Em função da curvatura acentuada, o posicionamento de ombros e quadril pode ficar desalinhado, trazendo prejuízos não somente à postura, como também para os órgãos internos. 

Esses casos, mais acentuados e severos, geralmente possuem indicação cirúrgica. 

Diagnóstico

criança fazendo diagnóstico de escoliose em consultório

O diagnóstico para possível cirurgia de escoliose pode ser feito por exames em consultório médico.

Para o diagnóstico, além do exame físico, alguns exames de imagens são solicitados, tais como exames de radiografia, tomografia e ressonância magnética, por exemplo. 

De fato, esses exames de imagem são muito importantes para medir, com precisão, a curvatura da coluna e, assim, saber se aquele é um caso com indicação cirúrgica ou não. 

Quando a cirurgia para escoliose é necessária? 

Conforme já dito, é necessário medir a angulação da escoliose para saber se há ou não indicação cirúrgica. 

Como regra, curvaturas a partir de 50 graus e acima têm indicação cirúrgica em crianças, para evitar a progressão da lesão. 

A cirurgia para escoliose, nesses casos, é importante, não só para melhorar a postura, como também evitar problemas nos órgãos, sobretudo o pulmão, pelo posicionamento curvado da coluna vertebral. 

Já crianças com curvaturas entre 40 e 50 graus necessitam de uma avaliação para decidir se a cirurgia é ou não recomendada. 

Nesses casos, é importante avaliar a idade do paciente, seu grau de movimentação, bem como seu estado geral de saúde, para saber se a indicação da cirurgia representa ou não uma vantagem para o paciente. 

Como a cirurgia para escoliose é feita?

criança fazendo preparação para cirurgia de escoliose

A cirurgia de escoliose é perigosa como qualquer outro tipo de cirurgia.

Para a cirurgia de escoliose, é utilizada uma técnica denominada artrodese. 

Na artrodese, as vértebras que fazem parte da escoliose são fundidas em um único bloco ósseo, com o auxílio de hastes de metal.

Essas hastes, que são fixas através de parafusos ou pinos, são importantes para manter a coluna alinhada, enquanto ocorre o processo de consolidação da artrodese. 

Geralmente, também são utilizados enxertos ósseos. Para isso, uma porção de osso ilíaco, do mesmo paciente, pode ser utilizada, mas há também outras opções, como osso homólogo (de banco de ossos) ou materiais sintéticos modernos. 

A cirurgia para escoliose pode durar entre 4 a 12 horas, dependendo do grau de curvatura, feita sob anestesia geral em âmbito hospitalar. 

Como é a recuperação pós-cirúrgica? 

Nos primeiros dias, após a cirurgia de escoliose, é bastante normal o paciente sentir dor e desconforto. 

Diversos medicamentos serão prescritos para melhorar o bem-estar do paciente. No próprio hospital, o profissional fisioterapeuta planejará o tratamento fisioterápico. 

O paciente só terá alta quando conseguir caminhar. A recuperação é longa, envolve tratamento fisioterápico e o resultado é curvaturas bem menores e crescimento mais saudável. 

Por isso que, em pacientes com curvaturas acentuadas, a cirurgia de escoliose é bastante indicada. 

Analgésicos e anti-inflamatórios serão prescritos para os primeiros dias após a cirurgia. Com o tempo, as dores devem diminuir. Um certo grau de desconforto pode ainda estar presente, após um tempo. 

Crianças ficarão afastadas da escola e de outras atividades, em média, por 4 semanas. Após esse período, um retorno pode ser programado, mas sem ainda a prática esportiva, a qual demanda mais tempo de recuperação. 

Após um ano, a criança já terá voltado normalmente à prática esportiva regular e suas atividades cotidianas. 

Mas, para isso, é essencial que o paciente passe pela fisioterapia, para que haja a recuperação da movimentação, enquanto a consolidação da artrodese ocorre. 

Cirurgia de escoliose é perigosa? 

Toda cirurgia apresenta riscos. Quando é uma cirurgia na coluna, com anestesia geral, os riscos também existem, mas com a evolução de materiais e técnicas, bem como com a experiência do cirurgião, os riscos são mínimos. 

Além disso, a correção da angulação será sempre feita considerando a proteção da medula do paciente. Quanto maior a angulação, maior será necessária a correção, mas sempre optará por uma correção que minimize os riscos para o paciente. 

Toda cirurgia necessita de uma indicação precisa pelo especialista, na qual são sempre avaliados os prós e contras do procedimento cirúrgico, sobretudo se há angulações entre 30 e 40 graus. 

Assim, é sempre importante conversar bastante com o médico, para que todas as dúvidas sejam sanadas antes do procedimento. 

Agendar sua Avaliação

Todo o conteúdo deste website é produzido e de reponsabilidade da equipe que compõe o ITC Vertebral.