ITC Vertebral

Blog ITC

Quando fazer uma cirurgia de hérnia de disco?

Dores na região lombar são muito comuns entre as pessoas e podem ter inúmeras causas. Na maioria dos casos, a Fisioterapia ajuda muito no tratamento. No entanto, em casos de pacientes com hérnia de disco, onde não há melhora com recursos conservadores ou quando há um risco iminente de danos irreversíveis, recomenda-se a cirurgia de hérnia de disco. Só o especialista será capaz de avaliar as condições do paciente e, assim, determinar que tipo de cirurgia de hérnia de disco será realizada, dependendo do local em que a hérnia se encontra.

médico mostrando hérnia de disco

Caso o paciente opte pela cirurgia, há dois tipos de cirurgias mais comuns. Neste artigo, vamos explicar como ocorre a hérnia de disco lombar, quais os seus sintomas e tratamentos. E em caso de cirurgia de hérnia de disco, quais os tipos de cirurgias disponíveis e como são realizados os procedimentos e recuperação.

Após a cirurgia, o paciente deve fazer certos procedimentos, para conseguir uma boa e total recuperação, como a fisioterapia, por exemplo.

O que é hérnia de disco lombar?

A hérnia de disco lombar é uma inflamação dos discos da coluna.

A coluna lombar é uma estrutura complexa que conecta a parte superior do corpo à parte inferior através da coluna vertebral. Na verdade, é a parte inferior da coluna vertebral, uma região entre a região torácica e a região sacrococcígea.

A coluna lombar é formada por cinco vértebras lombares, chamadas de Lombar 1 (L1) a Lombar 5 (L5) que juntas formam a curvatura lordótica (para dentro). Essa é uma região que suporta a maior carga entre as vértebras, por isso é o segmento mais acometido de toda a coluna vertebral. Pois, a região lombar é a parte da coluna que oferece tanto mobilidade quanto força. A mobilidade permite movimentos de rodar, girar ou abaixar-se; e a força permite ficar em pé e andar, além de levantar e carregar coisas.

Portanto, a lombar está diretamente relacionada à nossa postura. Com isso, o seu funcionamento apropriado é essencial para quase todas as atividades que desempenhamos no nosso dia a dia. Dores nessa região podem restringir as atividades, reduzir a capacidade de trabalho e a qualidade de vida da pessoa.

Como ocorre a hérnia de disco lombar?

Os discos intervertebrais que compõem a coluna vertebral são estruturas formadas por uma porção mais fibrosa chamada de ânulo fibroso e outra mais elástica e gelatinosa, o núcleo pulposo. A principal função do disco é absorver o impacto e permitir a mobilidade entre uma vértebra e outra.

Em alguns casos, esses discos desgastam-se com o tempo, com o uso repetitivo ou sobrecarga, e também de acordo com predisposição genética. São durante essas situações que as hérnias de disco ocorrem. Além disso, quando há um excesso de pressão nessa área, o disco é empurrado na direção de uma raiz nervosa. E ao tocá-la e pressioná-la desencadeia uma dor que se irradia para uma das pernas (dor ciática, por exemplo) ou ambas. Ou seja, o núcleo pulposo sai de sua posição normal no disco e comprime a medula ou, no caso da coluna lombar, as raízes nervosas. Felizmente, a hérnia de disco lombar é um problema na coluna vertebral que tem cura.

As pessoas mais afetadas por uma hérnia de disco estão entre 30 e 60 anos de idade. Após esta idade, é mais comum os problemas com os discos acompanharem os famosos bicos de papagaios (complexos disco-osteofitários). Nestas condições, o aumento anormal do osso, através do processo de osteoartrose contribui para a compressão das raízes nervosas.

Sintomas da hérnia de disco lombar

hérnia de disco

Os sintomas da hérnia de disco lombar se apresentam com dores na coluna.

​O primeiro sintoma de uma hérnia de disco lombar é quase sempre a dor lombar. A dor pode localizar-se tanto em uma região específica, como também pode ser vaga e difusa, leve e imprecisa.

Na maioria das vezes, uma crise de dor lombar isolada costuma melhorar rapidamente. No entanto, existem casos em que a dor pode se tornar incapacitante, associando-se a espasmos musculares e agravada pelo movimento. Em geral, a dor é aliviada após alguns dias ou semanas. Posteriormente, a dor pode reaparecer de forma constante, sendo irradiada para uma ou ambas as pernas.

Normalmente, as regiões mais acometidas são as nádegas e parte posterior ou lateral da coxa e perna. Chamamos de “dor ciática”, “ciatalgia” ou, simplesmente, “ciática”, o principal sintoma de uma hérnia de disco lombar, pois compromete o nervo ciático. O seja, a hérnia de disco lombar pode levar a uma inflamação do nervo ciático. Contudo, essa inflamação também pode aparecer em qualquer situação que cause problemas ao nervo ciático.

Sintomas de piora relacionada a hérnia de disco

Geralmente, a ciatalgia piora quando o paciente se senta, fica em pé ou anda, pois esses movimentos aumentam a pressão sobre o disco e, consequentemente, provoca um maior tensionamento do nervo ciático. Quando realizamos outros movimentos que elevam a pressão intra-abdominal (evacuar, tossir ou espirrar) ocorre outro aumento de pressão na coluna vertebral sobre os discos e, novamente, uma intensificação da dor. Geralmente, essa dor é aliviada ao deitar, mas ocasionalmente, podem sentir cãibras, dormência e formigamento que irradia até o pé.

Tratamento da hérnia de disco lombar​

O tratamento mais indicado para a hérnia de disco lombar são recursos da fisioterapia.

​A cirurgia de hérnia de disco só é feita quando todos os outros tratamentos não têm resultados satisfatórios ou quando há risco imediato de lesão permanente. Assim, recomenda-se a cirurgia de hérnia de disco quando os sintomas persistirem, após todas as alternativas de tratamentos conversadores não resolverem o problema. Um exemplo de exceção que pode levar a lesão permanente é o caso de “Síndrome da cauda equina”, uma condição que requer a cirurgia de hérnia de disco com urgência para evitar sequelas permanentes. A cirurgia de hérnia de disco pode ser tradicional ou minimamente invasiva. Ou seja, por meio de técnicas que levam menos tempo para serem realizadas e com poucos cortes no corpo.

Cirurgia de hérnia de disco tradicional

cirurgia

Uma cirurgia de hérnia de disco tradicional é realizada através de um corte na pele do paciente, com o objetivo de chegar até a coluna. No caso da cirurgia de hérnia de disco lombar, esse corte é feito pela lateral ou pelas costas. Para realizar a cirurgia de hérnia de disco tradicional se aplica uma anestesia geral. Com isso, os cirurgiões conseguem tirar parte do disco intervertebral prejudicado. O tempo estimado para essa cirurgia é de cerca de 2 horas. No entanto, esse tempo pode variar de cirurgia para cirurgia.

Cirurgia de hérnia de disco minimamente invasiva

Esse tipo de cirurgia de hérnia de disco também é muito comum. Porém, costuma demandar menos tempo e poucos cortes no paciente. O procedimento é uma das técnicas mais novas e eficazes, em que o paciente corre muito menos risco de contrair infecções ou hemorragias. São elas:

Microcirurgia

A microcirurgia consiste em uma abertura muito menor da pele, através de um microscópio cirúrgico. O objetivo é fazer a remoção do disco e cauterizar os nervos próximos da hérnia, para aliviar a dor. Por ter muitas vantagens, este tipo de cirurgia de hérnia de disco é a primeira escolha, pois possibilita incisões menores e mais precisas, além de diminuir o sangramento, favorecendo uma recuperação mais rápida. Além disso, proporciona menor mobilização das estruturas nervosas minimizando a reação inflamatória e reduz o período de hospitalização.

Cirurgia Endoscópica

Esse tipo de técnica de cirurgia de hérnia de disco tem o intuito de infiltrar pequenos tubos com câmera nas pontas. Com isso, evita-se os grandes cortes na pele e a manipulação de outras estruturas da coluna. Essa cirurgia de hérnia de disco minimamente invasiva precisa apenas de anestesia local e sedação. A sua duração é de uma média de 1 hora, ou até menos. Há casos em que se utiliza um aparelho de radiofrequência para remover a hérnia, também conhecido como cirurgia de hérnia de disco a laser.

Infiltração

Esse procedimento trata-se de uma técnica de infiltração de medicamentos na coluna para obter alívio da dor. Não necessita de cortes ou mesmo de anestesias. Além disso, costuma ser rápido, em torno de 30 a 60 minutos. O paciente normalmente tem alta hospitalar no mesmo dia. Essa cirurgia funciona para alívio da dor, possibilitando que o paciente continue na reabilitação sem partir para outras cirurgias.

Rizotomias por radiofrequência

Diferentemente das infiltrações de analgésicos e anti-inflamatórios, nas rizotomias por radiofrequência o especialista cauteriza pequenos nervos que se localizam nas articulações da coluna através de agulhas inseridas em pontos estratégicos. Trata-se de um procedimento simples e seguro que pode trazer grande alívio para dor de alguns pacientes, principalmente aqueles que apresentam dor lombar intensa. Em geral, é realizado com o paciente internado por um período curto de 24 horas.

Riscos da cirurgia de hérnia de disco

cirurgiões operando hérnia de disco

A cirurgia de hérnia de disco pode ter riscos.

Os riscos para realizar a cirurgia de hérnia de disco existem durante e após a cirurgia. São eles:

  • Infecção;
  • Sangramento;
  • Dano nos nervos próximos à coluna;
  • Dificuldades para movimentar a coluna;
  • Continuação da dor na coluna.

É devido a esses riscos que a cirurgia só é recomendada para os casos em que não há mais solução somente com tratamento conservador.

Recuperação e preço da cirurgia de hérnia de disco

O tempo de internação após a cirurgia de hérnia de disco varia entre 1 a 5 dias, dependendo do paciente e do tipo de cirurgia escolhida pelo médico cirurgião. Para uma boa recuperação, é preciso não deixar de fazer sessões de fisioterapia, para recuperar os movimentos mais rapidamente. Dessa forma, o paciente consegue voltar às suas atividades normais entre 5 a 10 dias após a cirurgia de hérnia de disco. Todavia, no caso de exercícios físicos e outras atividades mais intensas, o paciente deve esperar até 1 mês.

A cirurgia de hérnia de disco pode ser realizada tanto pelo plano de saúde quanto pelo SUS – Sistema Único de Saúde. No entanto, casos mais urgentes podem custar entre R$4.000,00 a R$10.000,00.

Tratamento conservador do ITC Vertebral

O ITC Vertebral é uma clínica especializada em dores e lesões em toda a coluna vertebral. Oferecemos um programa de fisioterapia completo, onde o objetivo é aliviar a dor, melhorar a mobilidade e restaurar o funcionamento normal das articulações.

O ITC Vertebral oferece um ambiente seguro e acolhedor, onde os pacientes se sentem à vontade para tratar qualquer problema na coluna. A partir do diagnóstico feito, o primeiro passo para o tratamento é sempre o conservador, ou seja, tratamos sem cirurgia.

A cirurgia é feita somente na minoria dos casos, e apenas se o tratamento conservador não apresentar resultados.

O ITC Vertebral utiliza abordagens que respeitam os sinais e sintomas do paciente para seguir com os critérios de tratamento.

O tratamento a longo prazo pode envolver:

  • Osteopatia – técnica de tratamento fisioterapêutico que se baseia no diagnóstico diferencial e tem como ênfase principal a integridade estrutural e funcional do corpo.

fisioterapeuta executando osteoparia

  • Fisioterapia manual – O objetivo das técnicas manuais é devolver a funcionalidade e a biomecânica das estruturas sem causar danos ao paciente, restaurando o movimento máximo e indolor do sistema musculoesquelético no equilíbrio postural.

fisioterapeuta executando motivmentos de fisioterapia manual

  • McKenzie: Técnica que encontra a preferência de movimento do paciente. Ela analisa o quadro e ajuda a reconhecer os exercícios específicos que mais ajudam no alívio das dores. Isso acontece com a participação ativa do paciente, que aprende comportamentos para o dia a dia.

fisioterapeuta executando técnica McKenzie

  • Mesa de Tração – quando indicada, possibilita uma descompressão com cargas controladas.

paciente em mesa de tração

  • Mesa de Flexo-Descompressão – possibilita que o fisioterapeuta tenha total controle sobre a mobilidade da coluna vertebral do paciente, permitindo os movimentos de flexão, extensão, lateralização e rotação.

paciente em mesa de flexo-descompressão

  • Técnicas de fortalecimento muscular: Elaboramos um programa de fortalecimento muscular específico para cada tipo de sintoma e diagnóstico.

fisioterapeuta indicando técnicas de fortalecimento muscular

Nós oferecemos a você uma recuperação completa e segura, com tecnologia avançada para você alcançar mais qualidade de vida.

Sobre o autor