ITC Vertebral

Blog ITC

Coluna torta: É doença? Como corrigir?

Quantas vezes você já ouviu alguém dizer que tem uma “coluna torta”?

foto de coluna torta

Esse termo, apesar de popular, muitas vezes é usado de forma descontraída e até mesmo simplista.

No entanto, por trás dessa expressão cotidiana, existe uma condição séria chamada escoliose, que merece nossa atenção e compreensão.

Neste artigo, vamos desmistificar esse termo e explorar os aspectos básicos dessa condição, entendendo suas causas, sintomas e como podemos cuidar de nossa coluna de maneira saudável. Afinal, compreender a “coluna torta” vai muito além de uma simples expressão – é sobre cuidar da estrutura que nos sustenta a cada passo que damos.

O que é Escoliose (Coluna torta em formato de C ou S)?

A escoliose é uma condição que pode afetar a coluna vertebral, causando uma curvatura lateral anormal.

Essa condição pode surgir em diferentes faixas etárias, desde a infância até a idade adulta, e é importante compreendê-la para promover um diagnóstico precoce e um tratamento eficaz.

Tipos de classificações da Escoliose

A escoliose pode ser classificada de diferentes maneiras, levando em consideração vários aspectos, como a idade de início, a causa subjacente e a natureza da curva.

foto de coluna torta

Aqui estão alguns dos principais tipos de classificação da escoliose:

1. Classificação por Idade de Início:

   – Infantil: Ocorre entre o nascimento e os 3 anos de idade.

   – Juvenil: Desenvolve-se entre os 4 e os 10 anos.

   – Adolescente: Manifesta-se a partir dos 11 anos e é a forma mais comum.

2. Classificação por Causa:

   – Idiopática: A forma mais comum, onde a causa não é identificada.

   – Congênita: Relacionada a anomalias no desenvolvimento da coluna vertebral antes do nascimento.

   – Neuromuscular: Associada a condições neuromusculares subjacentes, como paralisia cerebral ou distrofia muscular.

3. Classificação por Localização da Curva:

   – Torácica: A curva está localizada na região torácica (parte média das costas).

   – Lombar: A curva ocorre na região lombar (parte inferior das costas).

   – Toracolombar: Atinge tanto a região torácica quanto a lombar.

4. Classificação por Forma da Curva:

   – Simples: Uma única curva lateral.

   – Dupla: Duas curvas, geralmente uma torácica e outra lombar.

   – Tripla ou mais: Três ou mais curvas, que podem se estender por diferentes regiões da coluna.

5. Classificação por Ângulo da Curva:

   – Leve: Curva com um ângulo menor que 20 graus.

   – Moderada: Ângulo entre 20 e 40 graus.

   – Severa: Ângulo maior que 40 graus.

6. Classificação por Flexibilidade da Curva:

   – Estrutural: A coluna adquiriu uma forma permanente e não pode ser corrigida facilmente.

   – Não Estrutural: A coluna mantém alguma flexibilidade e pode ser corrigida, muitas vezes devido a fatores posturais.

Essas classificações ajudam os profissionais de saúde a compreenderem melhor a natureza da escoliose em um indivíduo específico, orientando assim as opções de tratamento e cuidados adequados para cada caso.

Por que surge a Escoliose?

As causas da escoliose podem ser divididas em três categorias principais: idiopática, congênita e neuromuscular.

A escoliose idiopática, a forma mais comum, ocorre sem uma causa específica identificável.

A congênita está relacionada a problemas no desenvolvimento da coluna vertebral antes do nascimento, enquanto a neuromuscular resulta de condições neuromusculares subjacentes, como paralisia cerebral ou distrofia muscular.

Como identificar a Escoliose?

foto de coluna torta

Os sinais e sintomas podem variar dependendo da gravidade da curva, da idade do paciente e de outros fatores subjacentes.

1. Assimetria Postural:

O que observar?
Desalinhamento notável dos ombros, onde um ombro parece mais alto que o outro.

Por que ocorre?
A curvatura lateral da coluna pode fazer com que a posição dos ombros seja desigual.

2. Assimetria das Omoplatas:

O que observar?
Uma omoplata pode parecer mais proeminente que a outra.

Por que ocorre?
Devido à rotação e deslocamento dos ossos da escápula causados pela curva da coluna.

3. Desnivelamento dos Quadris:

O que observar?
Um quadril pode parecer mais alto que o outro.

Por que ocorre?
A curva da coluna pode afetar a posição dos quadris, resultando em desigualdade na altura.

4. Curva Visível nas Costas:

O que observar?
Em casos mais evidentes, uma curvatura lateral pode ser visível ao observar as costas do indivíduo.

Por que ocorre?
A curva lateral da coluna vertebral é a característica central da escoliose.

5. Rigidez Muscular e Dor:

O que observar?
Rigidez muscular nas costas, especialmente ao longo da coluna.

Por que ocorre?
A musculatura pode ficar sobrecarregada devido à tentativa do corpo de compensar a curvatura, levando à dor e desconforto.

6. Fadiga:

O que observar?
Cansaço excessivo, especialmente após períodos de atividade física.

Por que ocorre?
O esforço extra necessário para manter a postura pode levar à fadiga muscular.

7. Alterações Respiratórias (em casos graves):

O que observar?
Dificuldade respiratória, principalmente se a escoliose afetar a região torácica.

Por que ocorre?
A curva da coluna pode afetar a capacidade dos pulmões expandirem totalmente.

8. Alterações no Alinhamento da Cabeça:

O que observar?
A cabeça não está centrada diretamente sobre a pelve.

Por que ocorre?
A inclinação da coluna pode afetar a posição da cabeça em relação ao restante do corpo.

É importante observar que, muitas vezes, a escoliose leve pode ser assintomática, e os sintomas podem tornar-se mais evidentes à medida que a curva progride.

A detecção precoce, através de exames físicos regulares e avaliações, é crucial para iniciar o tratamento adequado e minimizar o impacto da escoliose na qualidade de vida do paciente.

Tratamento e Gerenciamento da Escoliose

foto de coluna torta

O tratamento da escoliose depende da gravidade da curva, da idade do paciente e da causa subjacente.

Curvas mais acentuadas podem requerer o uso de coletes ortopédicos.

Em casos extremos, a cirurgia pode ser recomendada para corrigir a curva e estabilizar a coluna vertebral.

Fisioterapia para Escoliose

A fisioterapia é essencial no tratamento da escoliose, proporcionando abordagens não invasivas para melhorar a postura, fortalecer os músculos e aliviar sintomas.

Inicia-se com uma avaliação detalhada para criar um plano personalizado, envolvendo exercícios e procedimentos específicos e conscientização postural.

Além de alívio físico, a fisioterapia oferece suporte emocional, especialmente em casos diagnosticados durante a adolescência.

A abordagem é dinâmica, ajustando-se conforme a progressão da escoliose. O trabalho conjunto entre fisioterapeutas e pacientes contribui para resultados eficazes e uma melhor qualidade de vida.

Tem como prevenir a Escoliose?

Embora algumas formas de escoliose não possam ser prevenidas, há medidas que podem contribuir para minimizar os riscos.

A prática regular de exercícios físicos, especialmente aqueles que fortalecem os músculos das costas, pode ajudar a manter a coluna vertebral mais saudável.

Além disso, é fundamental realizar exames regulares, especialmente durante o período de crescimento, para identificar precocemente qualquer sinal de desenvolvimento de escoliose.

Veja o que o ITC Vertebral oferece a você!

consultas no ITC crescem a cada ano

Oferecemos um programa de fisioterapia completo para as mais diferentes patologias da coluna, como hérnia de disco e dor ciática, onde o objetivo é aliviar a dor, melhorar a mobilidade e restaurar o funcionamento normal das articulações para que você tenha mais qualidade de vida e não precise de cirurgia.

Os especialistas do ITC Vertebral utilizam abordagens que respeitam os sinais e sintomas do paciente para seguir com os critérios de tratamento mais adequados.

O tratamento pode envolver:

Osteopatia

Técnica de tratamento fisioterapêutico que se baseia no diagnóstico diferencial e tem como ênfase principal a integridade estrutural e funcional do corpo.

dr examinando

Fisioterapia manual

O objetivo das técnicas manuais é devolver a funcionalidade e a biomecânica das estruturas sem causar danos ao paciente, restaurando o movimento máximo e indolor do sistema musculoesquelético no equilíbrio postural.

estilo de vida mais saudável

McKenzie

Técnica que encontra a preferência de movimento do paciente.

Ela analisa o quadro e ajuda a reconhecer os exercícios específicos que mais ajudam no alívio das dores.

Isso acontece com a participação ativa do paciente, que aprende comportamentos para o dia a dia.

consultório para avaliar pacientes com dor nas costas

Mesa de Tração

Quando indicada, possibilita uma descompressão com cargas controladas.

rio de janeiro médico

Mesa de Flexo-Descompressão

Possibilita que o fisioterapeuta tenha total controle sobre a mobilidade da coluna vertebral do paciente, permitindo os movimentos de flexão, extensão, lateralização e rotação.

orientação médica

Técnicas de fortalecimento muscular

Elaboramos um programa de fortalecimento muscular específico para cada tipo de sintoma e diagnóstico.

exercícios físicos

Gostou da leitura?

Compartilhe esse conteúdo com seus amigos!