ITC Vertebral

Blog ITC

O que causa a Doença Degenerativa da Coluna?

A Doença Degenerativa da Coluna é uma condição que causa o desgaste progressivo de estruturas da região.

homem com doença degenerativa da coluna

Conforme o envelhecimento, esse processo de degeneração pode se tornar mais intenso naturalmente, mas outros fatores também podem colaborar, como: alterações genéticas, força biomecânica alterada e estresse mecânico.

Quando falamos em Doença Degenerativa da Coluna, as mais frequentes são hérnia de disco, estenose espinhal, osteofitose, doença degenerativa do disco e espondilolistese.

Três Doenças Degenerativas da Coluna frequentes

Hérnia de disco

Condição na qual o disco de amortecimento entre as vértebras da coluna (disco intervertebral) fica danificado, causando o abaulamento ou mesmo o vazamento de seu material interno. Isso pode causar dor, além de outros sintomas irradiados, como dormência, formigamento e fraqueza nos membros, a depender da gravidade e localização da lesão. As regiões lombar (costas) e cervical (pescoço) são as mais atingidas.

Osteofitose

Condição caracterizada pela formação de expansões ósseas nas bordas dos ossos, formando “pontas”. Esse crescimento ósseo, conhecido como osteófito ou bico de papagaio, pode ocorrer em qualquer parte do corpo, mas, dentre as regiões mais comumente afetadas, está a coluna vertebral.

Espondilose

Condição causada pelo desgaste das articulações entre as vértebras e dos discos intervertebrais. Esses discos atuam como amortecedores entre as vértebras e, com o tempo, perdem a sua elasticidade e diminuem a capacidade de amortecer impactos sobre a coluna vertebral. Afeta, principalmente, a região lombar.

Sintomas da Doença Degenerativa da Coluna

homem com dor na cervical

Os sintomas do paciente com Doença Degenerativa da Coluna podem variar. O grau da degeneração ou a localização de uma vértebra acometida, por exemplo, são importantes para manifestar sintomas específicos.

De modo geral, os sintomas mais comumente identificados, podem incluir:

1 – Dor (que pode irradiar para os membros);

2 – Fraqueza nos membros;

3 – Movimento limitado;

4 – Alterações sensitivas e/ou motoras nos membros;

5 – Lesões nervosas;

6 – Fadiga;

7 – Sensação de formigamento nos membros.

A Doenças Degenerativa da Coluna pode ser evitada?

Embora os processos degenerativos da coluna sejam naturais, ou seja, comuns à medida que envelhecemos, é possível controlar a progressão acelerada de condições que se instalam.

Veja algumas dicas para que o processo degenerativo não seja intenso e permita que você tenha qualidade de vida por mais tempo:

1 – Evite o sobrepeso corporal. Assumindo, principalmente, uma alimentação equilibrada.

2 – Tenha uma vida ativa. Considere a prática regular de atividade física recomendada e supervisionada por profissional.

3 – Ao longo do dia, evite permanecer por longos períodos na mesma posição. Alterne posturas e se movimente.

4 – Não administre medicamentos por conta própria para tratar dores e outros sintomas na coluna. Procure sempre ajuda especializada. O uso inadequado de remédios e outros recursos sem validação profissional pode prejudicar o quadro, ao invés de resolver.

Vida ativa x Doença Degenerativa da Coluna

Qualquer pessoa pode estar suscetível ao processo degenerativo de estruturas da coluna vertebral. O envelhecimento é o principal fator de risco, portanto, doenças na coluna podem surgir ao longo do tempo.

mulher feliz com os braços para cima

No entanto, outros fatores de risco que tendem a acelerar o processo degenerativo da coluna podem ser afastados e, assim, garantir que a pessoa tenha uma vida mais ativa e livre de dores.

Se você quer controlar processos degenerativos da coluna, garantindo uma vida com mais qualidade e sem limitações, invista no MOVIMENTO! Isso mesmo, fuja do sedentarismo.

A atividade física não prejudica. Muito pelo contrário, ainda que você já tenha lesões diagnosticadas na coluna, é recomendada a prática regular de exercícios orientados e com supervisão profissional, uma vez que isso contribui no fortalecimento da musculatura, alonga os músculos e ajuda a dar mais sustentação ao corpo, dentre outros benefícios que favorecem o alívio de dores e reduz o risco de doenças mais sérias na coluna.

Tratamento conservador do ITC Vertebral

O ITC Vertebral é uma clínica especializada em dores e lesões em toda a coluna vertebral. Oferecemos um programa de fisioterapia completo, onde o objetivo é aliviar a dor, melhorar a mobilidade e restaurar o funcionamento normal das articulações.

O ITC Vertebral oferece um ambiente seguro e acolhedor, onde os pacientes se sentem à vontade para tratar qualquer problema na coluna. A partir do diagnóstico feito, o primeiro passo para o tratamento é sempre o conservador, ou seja, tratamos sem cirurgia.

A cirurgia é feita somente na minoria dos casos, e apenas se o tratamento conservador não apresentar resultados.

O ITC Vertebral utiliza abordagens que respeitam os sinais e sintomas do paciente para seguir com os critérios de tratamento.

O tratamento a longo prazo pode envolver:

  • Osteopatia – técnica de tratamento fisioterapêutico que se baseia no diagnóstico diferencial e tem como ênfase principal a integridade estrutural e funcional do corpo.

fisioterapeuta executando osteoparia

  • Fisioterapia manual – O objetivo das técnicas manuais é devolver a funcionalidade e a biomecânica das estruturas sem causar danos ao paciente, restaurando o movimento máximo e indolor do sistema musculoesquelético no equilíbrio postural.

fisioterapeuta executando motivmentos de fisioterapia manual

  • McKenzie- Técnica que encontra a preferência de movimento do paciente. Ela analisa o quadro e ajuda a reconhecer os exercícios específicos que mais ajudam no alívio das dores. Isso acontece com a participação ativa do paciente, que aprende comportamentos para o dia a dia.

fisioterapeuta executando técnica McKenzie

  • Mesa de Tração – quando indicada, possibilita uma descompressão com cargas controladas.

paciente em mesa de tração

  • Mesa de Flexo-Descompressão – possibilita que o fisioterapeuta tenha total controle sobre a mobilidade da coluna vertebral do paciente, permitindo os movimentos de flexão, extensão, lateralização e rotação.

paciente em mesa de flexo-descompressão

  • Técnicas de fortalecimento muscular – Elaboramos um programa de fortalecimento muscular específico para cada tipo de sintoma e diagnóstico.

fisioterapeuta indicando técnicas de fortalecimento muscular

Nós oferecemos a você uma recuperação completa e segura, com tecnologia avançada para você alcançar mais qualidade de vida

Sobre o autor