ITC Vertebral

Blog ITC

Escoliose Degenerativa: sintomas e tratamento

A escoliose degenerativa é uma condição que pode se tornar progressiva ao longo do tempo, levando a complicações e sintomas mais graves se não for tratada.

Enquanto em alguns casos a escoliose degenerativa pode ser assintomática ou causar apenas desconforto leve, em outros, pode resultar em problemas mais sérios.

Descubra mais sobre essa condição nesse artigo e quando procurar por um especialista.

O que é Escoliose Degenerativa?

A escoliose degenerativa é uma forma específica de escoliose que se desenvolve em adultos como resultado de alterações degenerativas na coluna vertebral.

Ao contrário da escoliose que ocorre em crianças e adolescentes (escoliose idiopática), a escoliose degenerativa geralmente se manifesta em adultos mais velhos devido ao desgaste natural das articulações e dos discos intervertebrais ao longo do tempo.

foto de escoliose degenerativa

Possui sintomas?

A escoliose degenerativa pode apresentar sintomas que variam de leves a mais graves.

Alguns dos sintomas associados à escoliose degenerativa incluem:

Dor nas costas

A dor nas costas é um sintoma comum, podendo ser localizada na região da coluna vertebral afetada pela curva escoliótica.

A dor pode ser crônica e piorar com o tempo.

Rigidez

A rigidez da coluna vertebral pode ocorrer, especialmente ao tentar realizar movimentos laterais.

Alterações na postura

À medida que a curva escoliótica progride, podem ocorrer alterações na postura, resultando em desalinhamento e assimetria da coluna.

Alterações na marcha

Em alguns casos, a escoliose degenerativa pode afetar a marcha e a mobilidade geral.

Fraqueza muscular

A degeneração das estruturas da coluna vertebral pode levar a fraqueza muscular, especialmente se os nervos adjacentes forem comprimidos.

Alterações neurológicas

Em casos mais graves, a compressão das raízes nervosas ou da medula espinhal pode levar a sintomas neurológicos, como formigamento, dormência ou fraqueza nas extremidades.

Dificuldades respiratórias

Em casos avançados, a escoliose degenerativa pode afetar a capacidade pulmonar e causar dificuldades respiratórias.

Quais são os grupos de risco?

foto de escoliose degenerativa

Ela é mais comum em certos grupos de risco, e esses fatores podem aumentar a probabilidade de desenvolver a condição. Alguns dos grupos de risco incluem:

Idade avançada

A escoliose degenerativa é mais comum em adultos mais velhos, geralmente acima dos 50 anos.

O desgaste natural das estruturas da coluna vertebral ao longo do tempo contribui para o desenvolvimento da escoliose degenerativa nessa faixa etária.

Histórico familiar

Existe uma componente genética na predisposição para condições degenerativas da coluna vertebral, incluindo a escoliose degenerativa.

Se houver um histórico familiar da condição, pode aumentar o risco.

Sexo feminino

Mulheres têm uma probabilidade ligeiramente maior de desenvolver escoliose degenerativa do que homens.

foto de escoliose degenerativa

Alterações na coluna vertebral

Pessoas que já têm outras condições da coluna vertebral, como osteoartrite, degeneração discal ou outras deformidades, podem ter um maior risco de desenvolver escoliose degenerativa.

Histórico de lesões na coluna

Lesões anteriores na coluna vertebral podem predispor uma pessoa ao desenvolvimento de escoliose degenerativa, especialmente se essas lesões levarem a alterações nas estruturas da coluna vertebral.

Profissões com cargas pesadas

Pessoas que desempenham atividades profissionais que envolvem levantamento frequente de cargas pesadas ou movimentos repetitivos podem ter um maior risco de desenvolver escoliose degenerativa.

Como identificar a Escoliose Degenerativa na coluna vertebral?

foto de escoliose degenerativa

A identificação da escoliose degenerativa muitas vezes envolve uma combinação de exame clínico, histórico, e, em alguns casos, exames de imagem.

Avaliação clínica

Exame físico: Um especialista realizará um exame físico, observando a postura, a simetria da caixa torácica, a altura dos ombros e da pélvis, bem como a mobilidade da coluna vertebral.

Histórico: Informações sobre o histórico, incluindo histórico familiar de escoliose ou outros problemas na coluna vertebral, são importantes.

Sintomas

Dor nas Costas: A escoliose degenerativa frequentemente está associada à dor nas costas, especialmente na área da curva escoliótica.

Rigidez: Rigidez na coluna vertebral, especialmente ao tentar realizar movimentos laterais, pode ser um sintoma.

Exames de imagem

Radiografias: Radiografias da coluna vertebral são frequentemente utilizadas para confirmar o diagnóstico de escoliose e avaliar a gravidade da curva.

Ressonância Magnética (RM) ou Tomografia Computadorizada (TC): Podem ser recomendadas em casos em que há suspeita de compressão nervosa ou outras complicações mais sérias.

foto de escoliose degenerativa

Avaliação neurológica

Avaliação de sintomas neurológicos: Se houver sintomas como fraqueza, formigamento ou dor irradiada para as extremidades, uma avaliação neurológica mais detalhada pode ser necessária.

Monitoramento da progressão

Acompanhamento regular: Em casos de escoliose degenerativa, especialmente se associada a condições como osteoartrite, é importante o acompanhamento regular para monitorar a progressão da condição e ajustar o plano de tratamento conforme necessário.

Tratamento para melhorar a qualidade de vida

foto de escoliose degenerativa

O tratamento da escoliose degenerativa visa melhorar a qualidade de vida, aliviar os sintomas e, quando possível, retardar ou evitar a progressão da condição.

O plano de tratamento pode variar dependendo da gravidade dos sintomas, da progressão da escoliose e das necessidades específicas de cada paciente.

Algumas abordagens comuns incluem:

Fisioterapia e reabilitação:

  • Exercícios específicos: Um programa de exercícios personalizado pode ser desenvolvido para fortalecer os músculos ao redor da coluna vertebral, melhorar a estabilidade e ajudar na correção postural.
  • Fisioterapia: Sessões de fisioterapia podem incluir técnicas manuais, mobilizações articulares e outras modalidades para reduzir a dor e melhorar a função.

Órteses e dispositivos de apoio:

  • Coletes e suportes: Em alguns casos, dispositivos de apoio como coletes podem ser recomendados para fornecer suporte adicional à coluna e aliviar a dor.

Modificações no Estilo de Vida:

  • Exercício regular: Atividades físicas de baixo impacto, como natação, caminhada e exercícios específicos, podem ajudar a manter a mobilidade e fortalecer os músculos.
  • Controle de peso: Manter um peso saudável pode reduzir a carga na coluna vertebral e aliviar a pressão sobre as articulações.

Injeções de corticosteroides:

  • Injeções locais: Podem ser usadas para aliviar a dor localizada, especialmente se houver inflamação ao redor das articulações.

Gestão da dor:

  • Técnicas de gestão da dor: Terapias como liberação e técnicas de relaxamento podem ser consideradas para auxiliar no controle da dor.

Acompanhamento regular:

  • Monitoramento da progressão: Visitas regulares ao especialista permitem monitorar a progressão da escoliose degenerativa e ajustar o plano de tratamento conforme necessário.

Intervenção cirúrgica (em casos graves):

  • Cirurgia de fusão vertebral: Em casos avançados, quando a dor é incapacitante ou há comprometimento neurológico, a cirurgia de fusão vertebral pode ser recomendada para estabilizar a coluna vertebral.

foto de escoliose degenerativa

Tratamento conservador do ITC Vertebral

Oferecemos um programa de fisioterapia completo para as mais diferentes patologias da coluna, como hérnia de disco, onde o objetivo é aliviar a dor, melhorar a mobilidade e restaurar o funcionamento normal das articulações para que você tenha mais qualidade de vida e não precise de cirurgia.

Os especialistas do ITC Vertebral utilizam abordagens que respeitam os sinais e sintomas do paciente para seguir com os critérios de tratamento mais adequados.

O tratamento pode envolver:

Osteopatia

Técnica de tratamento fisioterapêutico que se baseia no diagnóstico diferencial e tem como ênfase principal a integridade estrutural e funcional do corpo.

pessoas de qualquer faixa etária podem fazer quiropraxia

Fisioterapia manual

O objetivo das técnicas manuais é devolver a funcionalidade e a biomecânica das estruturas sem causar danos ao paciente, restaurando o movimento máximo e indolor do sistema musculoesquelético no equilíbrio postural.

entenda se existem efeitos colaterais da quiropraxia

McKenzie

Técnica que encontra a preferência de movimento do paciente.

Ela analisa o quadro e ajuda a reconhecer os exercícios específicos que mais ajudam no alívio das dores.

Isso acontece com a participação ativa do paciente, que aprende comportamentos para o dia a dia.

associação brasileira de quiropraxia

Mesa de Tração

Quando indicada, possibilita uma descompressão com cargas controladas.

daniel david palmer

Mesa de Flexo-Descompressão

Possibilita que o fisioterapeuta tenha total controle sobre a mobilidade da coluna vertebral do paciente, permitindo os movimentos de flexão, extensão, lateralização e rotação.

organização mundial de saúde