ITC Vertebral

Blog ITC

Descubra tudo sobre Espondilose

A espondilose é uma condição que afeta a coluna vertebral. Ela é mais comumente associada ao envelhecimento e envolve o desgaste das vértebras da coluna vertebral, bem como das estruturas circundantes, como os discos intervertebrais e os ligamentos.

foto de espondilose

Essa condição é crônica e degenerativa, e pode ocorrer em qualquer parte da coluna vertebral, mas é mais comum na região cervical (pescoço) e lombar (parte inferior das costas).

Vamos entender melhor sobre a espondilose!

Como surge a Espondilose?

A espondilose surge, principalmente, devido ao processo natural de envelhecimento do corpo e é resultado do desgaste crônico das estruturas da coluna vertebral ao longo do tempo.

Alguns dos principais fatores que contribuem para o desenvolvimento da espondilose, incluem:

foto de espondilose

Envelhecimento: O envelhecimento é o fator primordial no desenvolvimento da espondilose. Com o tempo, as estruturas da coluna vertebral, como os discos intervertebrais, ligamentos e vértebras, sofrem desgaste e degeneração.

Desgaste dos Discos Intervertebrais: Os discos intervertebrais atuam como “amortecedores” entre as vértebras. Com o tempo, eles podem se tornar mais finos e perder a capacidade de absorver o impacto, levando à compressão das vértebras e à formação de esporões ósseos.

Alterações Estruturais: À medida que os discos se deterioram, a altura entre as vértebras diminui, causando uma instabilidade estrutural. Isso pode levar a mudanças anatômicas que contribuem para a espondilose.

Atividade Física e Estresse Repetitivo: Atividades que colocam estresse repetitivo na coluna vertebral, como levantar objetos pesados ou participar de esportes de impacto, podem acelerar o desgaste das estruturas da coluna vertebral.

Genética: A predisposição genética pode desempenhar um papel na suscetibilidade à espondilose. Se membros da família tiverem a condição, pode haver um risco aumentado de desenvolvê-la.

Obesidade: O excesso de peso coloca mais pressão sobre as estruturas da coluna vertebral, o que pode acelerar o desgaste.

Lesões na Coluna: Lesões anteriores na coluna vertebral, como fraturas ou traumas, podem aumentar o risco de desenvolver espondilose na área afetada.

É importante destacar que a espondilose é uma condição degenerativa e crônica que pode se desenvolver ao longo do tempo.

Embora o envelhecimento seja o fator mais significativo, outros elementos de estilo de vida e genéticos podem influenciar a progressão da condição.

Sintomas da Espondilose

foto de espondilose

A espondilose pode apresentar diversos sintomas, que podem variar de pessoa para pessoa.

Abaixo estão alguns sintomas comuns da espondilose:

Dor:

Dor crônica ou intermitente na região afetada da coluna vertebral.

Pode ser uma dor maçante, latejante ou aguda.

Rigidez:

Dificuldade em mover a coluna, especialmente após o repouso prolongado.

Diminuição da Flexibilidade:

Dificuldade em se inclinar, girar ou torcer o corpo.

Dor Irradiada:

Dor que se irradia para outras áreas do corpo devido à compressão das raízes nervosas, como braços ou pernas.

Formigamento e Dormência:

Sensações anormais, como formigamento, dormência ou sensação de alfinetadas nas extremidades.

Fraqueza Muscular:

Fraqueza nos músculos dos membros afetados, que pode prejudicar a capacidade de realizar atividades normais.

Perda de Controle da Bexiga ou Intestino (casos graves):

Em casos raros e graves, a espondilose pode comprimir a medula espinhal, levando a problemas de controle da bexiga e intestino.

É importante ressaltar que os sintomas podem variar em intensidade e gravidade de pessoa para pessoa.

Se você apresentar sintomas que sugerem espondilose, é aconselhável procurar atendimento especializado para diagnóstico e um plano de tratamento adequado.

Tipos de Espondilose

A espondilose é uma condição que afeta a coluna vertebral em geral, e não é classificada em diferentes tipos, como ocorre com algumas outras condições da coluna.

No entanto, a espondilose pode afetar diferentes regiões da coluna vertebral, e as pessoas frequentemente se referem a ela com base em onde ocorre.

As áreas mais comuns são:

foto de espondilose

Espondilose Cervical: Afeta a região do pescoço (coluna cervical). Os sintomas podem incluir dor no pescoço, rigidez, dor irradiada para os ombros e os braços, formigamento e fraqueza nas mãos.

Espondilose Torácica: Afeta a parte média das costas (coluna torácica). Os sintomas podem incluir dor nas costas e, em casos raros, dor irradiada para o abdômen ou órgãos internos.

Espondilose Lombar: Afeta a parte inferior das costas (coluna lombar). A espondilose lombar é bastante comum e pode causar dor lombar, rigidez e dor irradiada para as nádegas e as pernas.

Embora essas áreas da coluna vertebral sejam as mais afetadas pela espondilose, a condição é essencialmente uma forma geral de degeneração da coluna vertebral e pode ocorrer em qualquer parte da coluna vertebral. Portanto, a nomenclatura frequentemente se baseia na localização da degeneração.

Tratamento para Espondilose

É importante observar que, independentemente da região afetada, o tratamento da espondilose geralmente segue princípios semelhantes, com o foco no alívio dos sintomas, na melhoria da função e na prevenção de complicações.

 O tratamento pode incluir terapias físicas, modificações no estilo de vida e, em casos graves ou quando os sintomas não respondem ao tratamento conservador, a cirurgia pode ser considerada.

A abordagem de tratamento dependerá da gravidade dos sintomas e das necessidades individuais do paciente, mas a Fisioterapia é, normalmente, muito eficaz para o tratamento da condição.

Tratamento conservador do ITC Vertebral

Oferecemos um programa de fisioterapia completo para as mais diferentes patologias da coluna, onde o objetivo é aliviar a dor, melhorar a mobilidade e restaurar o funcionamento normal das articulações para que você tenha mais qualidade de vida.

Os especialistas do ITC Vertebral utilizam abordagens que respeitam os sinais e sintomas do paciente para seguir com os critérios de tratamento mais adequado.

O tratamento pode envolver:

Osteopatia

Técnica de tratamento fisioterapêutico que se baseia no diagnóstico diferencial e tem como ênfase principal a integridade estrutural e funcional do corpo.

fisioterapeuta fazendo Osteopatia no paciente

Fisioterapia manual

O objetivo das técnicas manuais é devolver a funcionalidade e a biomecânica das estruturas sem causar danos ao paciente, restaurando o movimento máximo e indolor do sistema musculoesquelético no equilíbrio postural.

fisioterapeuta fazendo Fisioterapia manual no paciente

McKenzie

Técnica que encontra a preferência de movimento do paciente.

Ela analisa o quadro e ajuda a reconhecer os exercícios específicos que mais ajudam no alívio das dores.

Isso acontece com a participação ativa do paciente, que aprende comportamentos para o dia a dia.

fisioterapeuta fazendo técnica McKenzie em paciente

Mesa de Tração

Quando indicada, possibilita uma descompressão com cargas controladas.

fisioterapeuta e paciente usando a mesa de tração

Mesa de Flexo-Descompressão

Possibilita que o fisioterapeuta tenha total controle sobre a mobilidade da coluna vertebral do paciente, permitindo os movimentos de flexão, extensão, lateralização e rotação.

paciente usando Mesa de Flexo-Descompressão

Técnicas de fortalecimento muscular

Elaboramos um programa de fortalecimento muscular específico para cada tipo de sintoma e diagnóstico.

paciente fazendo Técnicas de fortalecimento muscular

Esta informação foi útil?
Compartilhe com quem também pode se interessar.