ITC Vertebral

Blog ITC

Estenose Lombar é grave?

A estenose lombar é uma condição que gera estreitamento do canal vertebral na região lombar. Isso pode causar dor e fraqueza nas pernas.

foto de estenose lombar

Acompanhe, neste artigo, tudo sobre a condição!

Tipos de estenose lombar

Os tipos de estenose lombar são, geralmente, classificados com base na localização do estreitamento do canal vertebral ou das estruturas afetadas.

Os principais tipos de estenose lombar, incluem:

Estenose Lombar Central: Este é o tipo mais comum de estenose lombar. Envolve o estreitamento do canal vertebral central na região lombar, onde a medula espinhal passa. A compressão da medula espinhal pode resultar em sintomas como dor nas costas, dor nas pernas, fraqueza e formigamento nas duas pernas.

Estenose Lombar Foraminal: Neste tipo, o estreitamento ocorre nos forames neurais, que são os espaços entre as vértebras onde os nervos espinhais saem da medula espinhal e se ramificam para outras partes do corpo. Isso pode levar à compressão das raízes nervosas e causar dor nas costas e nas pernas, bem como fraqueza e dormência nas áreas afetadas.

Estenose Lombar Lateral Recessal: A estenose lateral recessal envolve o estreitamento dos recessos laterais do canal vertebral, onde as raízes nervosas saem da medula espinhal e entram nos forames neurais. A compressão das raízes nervosas nos recessos laterais pode resultar em dor lombar e na perna, bem como sintomas neurológicos.

Estenose Lombar Foraminal e Lateral Recessal: Alguns pacientes podem apresentar estenose em ambos os forames neurais e recessos laterais. Isso pode causar uma combinação de sintomas associados à estenose foraminal e à estenose lateral recessal.

Quais são os sintomas da condição?

fotos de estenose lombar

Os sintomas da estenose lombar podem variar de pessoa para pessoa e dependerão da gravidade da compressão nervosa.

Alguns dos sintomas mais comuns, incluem:

Dor lombar: A dor nas costas é um sintoma comum da estenose lombar. A dor pode ser localizada na região lombar ou irradiar para as nádegas.

Dor nas pernas: A dor nas pernas é um sintoma proeminente. Ela pode ser descrita como dor que se espalha da região lombar para as coxas, panturrilhas ou até mesmo para os pés. A dor nas pernas, muitas vezes, é aliviada quando a pessoa está sentada ou inclinada para a frente, pois isso reduz a pressão sobre as raízes nervosas afetadas.

Dormência e formigamento: Pacientes com estenose lombar podem experimentar sensações de dormência, formigamento ou fraqueza nas pernas, coxas ou nádegas. Isso ocorre devido à compressão das raízes nervosas.

Claudicação neurogênica: A claudicação neurogênica é uma condição na qual a pessoa experimenta dor, dormência ou fraqueza nas pernas ao caminhar ou ficar de pé por longos períodos. Os sintomas melhoram quando a pessoa se senta ou se curva para frente.

Fraqueza muscular: A compressão das raízes nervosas pode causar fraqueza nos músculos das pernas, o que pode afetar a capacidade de caminhar, subir escadas e realizar atividades físicas.

Piora dos sintomas ao ficar em pé ou andar: Muitas vezes, os sintomas da estenose lombar pioram quando a pessoa está em pé ou caminhando, especialmente durante atividades que exigem extensão da coluna vertebral.

Alívio dos sintomas ao se sentar ou inclinar para a frente: Inclinar-se para frente ou sentar-se, geralmente, alivia os sintomas da estenose lombar, pois isso aumenta o espaço no canal vertebral e reduz a compressão das estruturas nervosas.

Sintomas que pioram com o tempo: Em muitos casos, os sintomas da estenose lombar tendem a piorar gradualmente ao longo do tempo, à medida que o estreitamento do canal vertebral se torna mais pronunciado.

As causas da estenose lombar

A estenose lombar é uma condição que envolve o estreitamento do canal vertebral na região lombar da coluna vertebral. Isso pode comprimir as estruturas nervosas na área, causando sintomas como dor nas costas, dor nas pernas, dormência, fraqueza e formigamento.

Existem várias causas possíveis para a estenose lombar, incluindo:

foto de estenose lombar

Degeneração dos discos intervertebrais: Com o envelhecimento, os discos intervertebrais podem perder sua elasticidade e altura, o que pode levar ao estreitamento do canal vertebral.

Formação de osteófitos (bicos de papagaio): O crescimento anormal de ossos adjacentes às vértebras, chamados osteófitos, pode ocorrer como resultado do envelhecimento e do desgaste das articulações facetárias. Esses osteófitos podem comprimir o canal vertebral.

Hipertrofia do ligamento amarelo: O ligamento amarelo é uma estrutura que conecta as vértebras na coluna vertebral. Com o tempo, ele pode aumentar de tamanho, causando estreitamento do canal vertebral.

Escoliose: A escoliose é uma condição em que a coluna vertebral se curva anormalmente para o lado. Isso pode contribuir para a estenose lombar em alguns casos.

Trauma: Lesões na coluna vertebral, como fraturas ou lesões graves, podem causar estenose lombar se houver dano às estruturas que compõem o canal vertebral.

Anormalidades congênitas: Alguns indivíduos podem nascer com um canal vertebral naturalmente estreito, predispondo-os a desenvolver estenose lombar ao longo do tempo.

Tumores: Tumores na coluna vertebral podem crescer e comprimir o canal vertebral, levando à estenose.

Infecções: Infecções que afetam os tecidos da coluna vertebral, como discos ou vértebras, podem causar inflamação e estreitamento do canal vertebral.

Doenças inflamatórias: Condições como a espondilite anquilosante, que é uma doença autoimune que afeta a coluna vertebral, podem levar à estenose lombar.

É importante notar que a estenose lombar é mais comum em pessoas mais velhas, à medida que os efeitos do envelhecimento contribuem para o estreitamento do canal vertebral.

Principais fatores de risco

Os fatores de risco para a estenose lombar incluem idade, obesidade e um estilo de vida sedentário.

As pessoas mais velhas têm maior probabilidade de desenvolver estenose lombar devido à degeneração natural da coluna vertebral que ocorre com a idade.

A obesidade aumenta o risco de estenose lombar porque pode levar a doenças degenerativas do disco.

Um estilo de vida sedentário também aumenta o risco, porque pode levar à obesidade

Como é feito o diagnóstico de estenose lombar?

É tipicamente feito com testes de imagem, tais como ressonância magnética ou tomografia computadorizada. Esses testes podem mostrar o estreitamento do canal vertebral. Seu especialista também pode pedir um eletromiograma (EMG) para verificar se há lesão nervosa.

Como é o tratamento da estenose lombar?

A fisioterapia tem um papel fundamental, ela envolve exercícios que fortalecem os músculos e melhoram a flexibilidade.

A cirurgia, geralmente, só é recomendada quando outros procedimentos conservadores não conseguem tratar o problema.

Tratamento conservador do ITC Vertebral

Oferecemos um programa de fisioterapia completo para as mais diferentes patologias da coluna, onde o objetivo é aliviar a dor, melhorar a mobilidade e restaurar o funcionamento normal das articulações para que você tenha mais qualidade de vida.

Os especialistas do ITC Vertebral utilizam abordagens que respeitam os sinais e sintomas do paciente para seguir com os critérios de tratamento mais adequado.

O tratamento pode envolver:

Osteopatia

Técnica de tratamento fisioterapêutico que se baseia no diagnóstico diferencial e tem como ênfase principal a integridade estrutural e funcional do corpo.

fisioterapeuta fazendo Osteopatia no paciente

Fisioterapia manual

O objetivo das técnicas manuais é devolver a funcionalidade e a biomecânica das estruturas sem causar danos ao paciente, restaurando o movimento máximo e indolor do sistema musculoesquelético no equilíbrio postural.

fisioterapeuta fazendo Fisioterapia manual no paciente

McKenzie

Técnica que encontra a preferência de movimento do paciente.

Ela analisa o quadro e ajuda a reconhecer os exercícios específicos que mais ajudam no alívio das dores.

Isso acontece com a participação ativa do paciente, que aprende comportamentos para o dia a dia.

fisioterapeuta fazendo técnica McKenzie em paciente

Mesa de Tração

Quando indicada, possibilita uma descompressão com cargas controladas.

fisioterapeuta e paciente usando a mesa de tração

Mesa de Flexo-Descompressão

Possibilita que o fisioterapeuta tenha total controle sobre a mobilidade da coluna vertebral do paciente, permitindo os movimentos de flexão, extensão, lateralização e rotação.

paciente usando Mesa de Flexo-Descompressão

Técnicas de fortalecimento muscular

Elaboramos um programa de fortalecimento muscular específico para cada tipo de sintoma e diagnóstico.

paciente fazendo Técnicas de fortalecimento muscular

Esta informação foi útil?
Compartilhe com quem também pode se interessar.

Sobre o autor