ITC Vertebral

Blog ITC

Lombalgia: causas, sintomas e tratamento

Lombalgia (dor lombar) é uma condição, cada vez mais, frequente na sociedade e afeta não somente pessoas com idade mais avançada, como o público mais jovem (incluindo crianças e adolescentes) também, que manifesta queixas recorrentes nos consultórios.

Mas nem toda dor nas costas implica a existência de um problema mais grave na região.

A lombalgia, normalmente, requer atenção e acarreta sintomas que sem o tratamento correto podem ser incapacitantes, prejudicando a qualidade de vida do paciente.

Neste artigo, informe-se melhor sobre a lombalgia, suas causas e o tratamento mais eficaz.

Causas e características da lombalgia

Existem diferentes fatores desencadeantes da lombalgia. É o caso de inflamações; infecções; hérnias de disco, artrose ou escorregamento de vértebra; sedentarismo; obesidade; fatores genéticos; envelhecimento e até questões emocionais.

A lombalgia ocorre na parte inferior da coluna vertebral (coluna lombar). Uma grande parcela da população nos dias de hoje convive com o problema. A dor aguda dura, normalmente, até 12 semanas, enquanto a dor crônica pode durar anos, indicando um problema bem mais incapacitante na coluna vertebral.

A causa mais comum da lombalgia aguda é algum movimento que corpo do paciente não estava preparado para realizar e que o ele fez no seu dia a dia, como:

– Carregar peso em excesso ou de forma errada;

– Abaixar o tronco para pegar algum objeto com as pernas esticadas;

– Fazer rotação do corpo mantendo os pés parados no chão, ao invés de rodar todo o corpo;

– Pegar algum objeto em uma estante alta inclinando o corpo para trás, dentre outros comportamentos.

Quando a dor nas costas dura mais que 12 semanas ela pode ser caracterizada como lombalgia crônica e, por ter causa multifatorial, é bem mais difícil de ser tratada, sendo necessária a ajuda especializada.

Tratamento para lombalgia

Há várias formas para tratar a lombalgia e aliviar as dores.

Independentemente da duração da dor, o indicado é que, ao surgirem os sintomas, a pessoa procure um especialista para avaliar a gravidade do problema e iniciar o tratamento.

Quando a crise aparece, muitos só enxergam a cirurgia como opção. No entanto, muitas pesquisas têm apontado tratamento conservador e exercícios físicos como solução para mais de 90% dos casos.

Há muitas pessoas que ignoram a dor, convivendo com o problema por meses e até anos.

Outras ainda buscam a automedicação, que é um grande fator de risco. O ideal é que o paciente seja avaliado o quanto antes por um profissional capacitado, a fim de receber o diagnóstico correto do seu problema e investir no tratamento mais adequado. Quanto mais cedo a dor lombar for tratada, maiores serão as chances de se aliviar o sintoma e do que pode estar por trás dele.

Previna-se da lombalgia!

A lombalgia pode ser prevenida ou minimizada através da adoção de hábitos saudáveis e práticas que promovam a saúde da coluna vertebral e dos músculos circundantes.

Aqui estão algumas dicas para prevenir a lombalgia:

· Evite manter a mesma postura por longos períodos de tempo.

· Pratique exercícios regulares: Fortalecer os músculos do core (abdômen e parte inferior das costas) ajuda a dar suporte à coluna vertebral. Exercícios como pranchas, abdominais e alongamentos são benéficos. Exercícios globais também são bem vindos.

· Use mobília ergonômica: Certifique-se de que sua cadeira, mesa e estação de trabalho estejam configuradas de forma ergonômica para evitar tensões na coluna.

· Faça pausas frequentes: Se você trabalha em uma posição sentada por longos períodos, faça pausas regulares para se levantar, alongar e caminhar um pouco.

· Pratique alongamentos: Realizar alongamentos suaves e regulares ajuda a manter a flexibilidade dos músculos e ligamentos da região lombar.

· Mantenha um peso saudável: O excesso de peso coloca pressão adicional na coluna vertebral, aumentando o risco de lombalgia.

· Use calçados adequados: Sapatos inadequados podem afetar a postura e a biomecânica, contribuindo para problemas na coluna.

· Evite fumar: Fumar pode afetar a circulação sanguínea nos discos intervertebrais, aumentando o risco de degeneração e dor.

· Tenha cuidado com movimentos bruscos: Quando possível, evite torções súbitas ou movimentos violentos que possam causar estresse excessivo na coluna.

· Mantenha o estresse sob controle: O estresse crônico pode contribuir para a tensão muscular e a dor nas costas.

· Consulte um profissional se você tiver histórico de lombalgia ou estiver com suspeita. Um fisioterapeuta especializado pode recomendar exercícios específicos para fortalecer e alongar a região lombar, além de orientar à abordagem de tratamento mais segura, em caso de diagnóstico de lombalgia.

Lembre-se de que a prevenção é sempre mais eficaz do que tratar um problema após ele se desenvolver. Ao adotar essas práticas saudáveis em sua rotina diária, você pode ajudar a reduzir o risco de lombalgia e promover uma coluna vertebral mais saudável.

Tratamento conservador do ITC Vertebral

Oferecemos um programa de fisioterapia completo para as mais diferentes patologias da coluna, onde o objetivo é aliviar a dor, melhorar a mobilidade e restaurar o funcionamento normal das articulações para que você tenha mais qualidade de vida.

Os especialistas do ITC Vertebral utilizam abordagens que respeitam os sinais e sintomas do paciente para seguir com os critérios de tratamento mais adequado.

O tratamento pode envolver:

Osteopatia

Técnica de tratamento fisioterapêutico que se baseia no diagnóstico diferencial e tem como ênfase principal a integridade estrutural e funcional do corpo.

fisioterapeuta fazendo Osteopatia no paciente

Fisioterapia manual

O objetivo das técnicas manuais é devolver a funcionalidade e a biomecânica das estruturas sem causar danos ao paciente, restaurando o movimento máximo e indolor do sistema musculoesquelético no equilíbrio postural.

fisioterapeuta fazendo Fisioterapia manual no paciente

McKenzie

Técnica que encontra a preferência de movimento do paciente.

Ela analisa o quadro e ajuda a reconhecer os exercícios específicos que mais ajudam no alívio das dores.

Isso acontece com a participação ativa do paciente, que aprende comportamentos para o dia a dia.

fisioterapeuta fazendo técnica McKenzie em paciente

Mesa de Tração

Quando indicada, possibilita uma descompressão com cargas controladas.

fisioterapeuta e paciente usando a mesa de tração

Mesa de Flexo-Descompressão

Possibilita que o fisioterapeuta tenha total controle sobre a mobilidade da coluna vertebral do paciente, permitindo os movimentos de flexão, extensão, lateralização e rotação.

paciente usando Mesa de Flexo-Descompressão

Técnicas de fortalecimento muscular

Elaboramos um programa de fortalecimento muscular específico para cada tipo de sintoma e diagnóstico.

paciente fazendo Técnicas de fortalecimento muscular

Esta informação foi útil?
Compartilhe e ajude outras pessoas!

Sobre o autor