Ângulo de Ferguson

21/fev Por Helder Montenegro Revisão 21/fev - 2022

Em anatomia, existem diversos ângulos presentes no corpo humano. Assim, o ângulo de Ferguson é um ângulo presente na curvatura lombossacral, através da qual é possível medir o grau de lordose do indivíduo. 

Leia mais sobre o assunto aqui!

Por que o ângulo de Ferguson é importante?

homem de costas mostrando desenho da coluna com O ângulo de Ferguson

O ângulo de Ferguson é uma curvatura importante da lombar.

O ângulo de Ferguson é importante, pois, através dele, é possível estabelecer se a coluna vertebral tem uma curvatura muito acentuada na região lombar. 

Muitas pessoas acreditam que a coluna vertebral é reta, mas ela não é. A coluna vertebral saudável, sem lesões, apresenta curvaturas normais e anatômicas.

E são essas curvaturas que permitem que o indivíduo se movimente com naturalidade, tendo boa distribuição das cargas pelos músculos. 

Agendar sua Avaliação

Por isso, a mensuração do ângulo de Ferguson é importante para auxiliar no diagnóstico de patologias da coluna vertebral. 

Qual é o ângulo de Ferguson normal? 

Para uma pessoa adulta, sem patologias na coluna, o ângulo de Ferguson deve ser entre 45 e 61 graus. 

Como medir o ângulo de Ferguson? 

Através dessas radiografias, é possível medir o ângulo de Ferguson. Para isso, será avaliada a diferença de alinhamento entre a região cervical e a região lombar. Partindo-se de duas tangentes das vértebras das duas regiões, obtém-se um ângulo. Esse é o ângulo de Ferguson. 

É possível alterar o ângulo de Ferguson? Devo me preocupar com isso?

mulheres de lado mostrando curvatura por ângulo de Ferguson

O ângulo de Ferguson ajuda a determinar as patologias da coluna.

A importância desse ângulo está justamente no diagnóstico de patologias. Por isso, médicos e fisioterapeutas solicitam radiografias da coluna com laudos, para medição desses ângulos. 

Assim, pode-se avaliar a presença de outros elementos, em caso de presença de dor na região lombar, por exemplo. 

No caso da região lombar, a presença de hérnias de disco são as principais razões pela dor localizada nessa região. 

Mas, o excesso de curvatura também pode afetar a musculatura local, além de pressionar terminações nervosas, gerando dor. Esse excesso de curvatura na região lombar é denominado lordose. 

Quando ocorre na região cervical, é denominada cifose, porém o ângulo de Ferguson não é utilizado para acompanhamento da curvatura da região cervical, somente da região lombossacral. 

Quando uma pessoa recebe as radiografias da coluna vertebral e percebe que o ângulo de Ferguson, no laudo, encontra-se fora do chamado intervalo normal, não deve se preocupar. 

Essa pessoa deve levar esse laudo ao médico e ao fisioterapeuta, que lhe explicarão sobre o ângulo de Ferguson e lordose. É importante lembrar que muitas pessoas convivem com lordose sem apresentar dor. 

É o caso, por exemplo, de pessoas com a região dos quadris mais avantajada, visto que a curvatura da região lombar acompanha a musculatura dessa região. Isso, de fato, é mais comum em mulheres, que podem ter lordose e não sentirem dor na região. 

Portanto, não se preocupe caso você apresente o ângulo de Ferguson em valores diferentes do intervalo considerado normal. O importante é que o médico e fisioterapeuta analisem suas radiografias de coluna vertebral e você não sentir dor na região, ou limitação de movimento. 

Em caso de dor na região lombar, o que devo fazer? 

Dor prolongada nas costas, que não desaparece após um período de repouso ou compressas quentes, deve sempre ligar o sinal de alerta no organismo. Afinal, a dor é a indicação que algo não está bem. 

A dor na coluna atinge mais de 50% da população mundial, sendo considerada, no Brasil, a principal razão para afastamento de trabalhadores pelo INSS. 

Além disso, a região lombar é a região da coluna que mais sofre com patologias, por ser uma região de maior movimentação da coluna, seguida pela região cervical. 

Assim, o ideal é procurar um fisioterapeuta para avaliação da coluna e da dor. Pedidos de exames de imagem também auxiliam no diagnóstico.

Com a patologia identificada, é possível focar e se dedicar ao tratamento, com sessões de fisioterapia, por exemplo, para fortalecer a musculatura e evitar episódios recorrentes de dor.

Agendar sua Avaliação

Por Helder Montenegro Revisão 21/fev - 2022
Todo o conteúdo deste website é produzido e de reponsabilidade da equipe que compõe o ITC Vertebral.