Exercícios Para Estenose Lombar

07/fev Por Helder Montenegro Revisão 07/fev - 2022

A estenose lombar é um quadro que afeta um grande número de pessoas, trazendo dor e incômodo. Por isso, exercícios para estenose lombar são fundamentais, para que o paciente tenha mais qualidade de vida e sofra menos, com crises agudas de dor. 

Mas, a prática de exercícios em quem apresenta qualquer lesão na coluna deve ser sempre orientada por um profissional, buscando melhorar o condicionamento físico e a capacidade de desempenhar tarefas do dia a dia.

Dessa forma, é importante que os exercícios sejam realizados de forma gradual e com possibilidade de interrupção ou modificação, caso o paciente sinta dor. De fato, os exercícios para estenose lombar devem ser sempre feitos nos limites do próprio paciente. 

Porém, afinal, o que é estenose lombar e por que exercícios para estenose lombar são importantes? 

O que é estenose lombar?

senhora de costas com as mãos na lombar com estenose

Estenose lombar é o estreitamento do canal medular ou de forames na região.

Estenose é o estreitamento do canal medular ou de forames (aberturas fisiológicas) existentes na coluna vertebral. Esse estreitamento pode causar compressão dos nervos que existem na região da coluna, trazendo bastante dor ao paciente. 

Agendar sua Avaliação

Além disso, quando presente na região lombar, a estenose pode levar ao aparecimento de um quadro denominado cauda equina, que demanda ação emergencial. 

Assim, é importante prestar atenção aos sintomas. 

Sintomas 

  • Dor na região lombar; 
  • Dor ou câimbras na região dos membros inferiores; 
  • Formigamento ou perda de força das pernas; 

Os sintomas podem apresentar alívio quando o paciente se senta ou então curva-se para frente. Por outro lado, quando os pacientes ficam longos períodos em pé, os sintomas tendem a piorar. 

Sintomas mais graves, como alterações neurológicas ou do sistema urinário, só estão presentes em casos mais graves de estenose lombar. 

Causas

mulher curvada com dor por estenose lombar

A principal causa da estenose lombar é o envelhecimento.

A principal causa da estenose é o envelhecimento, pois, com ele, há alterações nos discos intervertebrais, contribuindo para o possível estreitamento do canal medular. 

Assim, hérnias de disco podem estar associadas à estenose lombar. Além disso, outras causas incluem fraturas ou a presença de tumores na coluna, levando ao estreitamento do canal medular.

Além disso, o estreitamento das vértebras pode ser congênito (presentes desde o nascimento). 

Diagnóstico 

Caso haja suspeita de estenose lombar como causa da dor, o fisioterapeuta poderá encaminhar o paciente a um médico ortopedista para determinar o diagnóstico.

Para confirmar a estenose, serão realizadas a avaliação física do paciente e a solicitação de exames de imagem. Dentre os exames de imagem mais solicitados, estão as radiografias da coluna vertebral e a ressonância magnética. 

Tratamento

mulher deitada no chão sobre uma das pernas dobrada fazendo exercícios para estenose lombar

Há vários tratementos, mas os exercícios para estenose lombrar são eficientes na prevenção e alivio de sintomas.

Inicialmente, quando o paciente estiver em crise aguda de dor, pode ser necessária a prescrição médica de analgésicos, anti-inflamatórios e relaxantes musculares para ajudá-lo a sair da crise.

Nessa fase, o fisioterapeuta  poderá aplicar ações analgésicas, para minimizar a dor sentida pelo paciente. Fisioterapeutas especializados em terapia manual, como a Osteopatia, podem realizar técnicas de mobilização articular e liberações musculares.

Uma vez que o paciente saia do quadro de dor aguda, será necessário incluir outras intervenções, pois a estenose não é um quadro que necessite apenas de medicação  e terapia manual.

Os exercícios fisioterapêuticos são fundamentais para que o paciente possa conviver com o quadro, levando uma vida mais funcional e com sintomas controlados . 

Este tratamento que associa medicações e intervenções fisioterapêuticas é chamado de tratamento conservador, pois não inclui cirurgia.

Para a maior parte dos pacientes, o tratamento conservador apresenta bons resultados, quando aplicado na fase mais inicial do quadro, quando ainda não há sequelas neurológicas presentes. 

Somente, em casos mais severos ou nos casos em que o tratamento conservador não surtiu efeito, a cirurgia pode ser indicada. 

Quando a cirurgia para estenose lombar é indicada? 

O tratamento cirúrgico está indicado nos casos em que o tratamento conservador não surtiu o efeito desejado  ou quando já há presença de sequelas mais severas da estenose lombar. 

Porém, a decisão sobre a realização da cirurgia deve ser feita em conjunto por um médico ortopedista, um fisioterapeuta e o paciente.

Além disso, a fisioterapia também faz parte da recuperação pós-cirúrgica de pacientes que se submeteram à cirurgia de estenose lombar.

Assim, a movimentação do paciente inicia-se mais cedo e o objetivo é que o paciente retorne, o mais breve possível, às suas atividades diárias. 

Quem tem estenose lombar pode caminhar? 

Quem é paciente com estenose lombar pode sentir que quando caminha, a dor na região lombar tende a aumentar, e devido a isso, evitam realizá-la.

No entanto, a caminhada é uma atividade recomendada, pois não é uma atividade de alto impacto e pode ser graduada de acordo com os limites do paciente.

Além disso, quando os pacientes evitam realizar movimentos e diminuem bastante o nível de atividade física, tornam-se completamente sedentários.

Isso, de fato, é ruim para a saúde geral do paciente, pois, um indivíduo sedentário tem maior risco de problemas cardiovasculares, trombose, além de perder massa magra. 

Assim, a própria redução de movimentos pode agravar as dores devido ao descondicionamento físico e ao surgimento/agravo de fatores psicológicos. 

A importância dos exercícios fisioterapêuticos para estenose lombar

homem deitado de costas no chão com as pernas cruzadas no ar fazendo exercícios para estenose lombar

Os exercícios para a estenose lombrar são muito importantes.

 

Os exercícios são importantes para quem tem estenose lombar, visando fortalecer a musculatura da região, mas sem ampliar quadros de dor. Quanto mais o paciente com dor na coluna torna-se sedentário, mais a dor se intensificará. 

Portanto, pacientes com dor que ficam deitados o tempo todo, tendem a ter o quadro de dor bastante intensificado, com o passar do tempo. Dessa forma, é importante que o paciente se mantenha ativo e consiga exercitar algum tipo de atividade física, de maneira regular e focada. 

Estabilização Segmentar Vertebral

Um bom programa de exercícios para esses pacientes inicia através da estabilização segmentar vertebral.

Esta técnica baseia-se em ativar e fortalecer músculos profundos da região lombar e do abdômen, associando movimentos de forma gradual para treinar a estabilidade da coluna e a capacidade do paciente de executar tarefas.

A primeira fase é o aprendizado de como ativar e controlar essa musculatura. As fases seguintes buscam aprimorar esse controle. Após o pleno domínio da ativação, exercícios para braços e pernas são incluídos até a execução de tarefas mais complexas. 

Pilates 

A prática de Pilates é uma boa alternativa para quem deseja continuar ativo, após a estabilização segmentar vertebral.

Por ser orientado e programado por um profissional da fisioterapia, a prática de Pilates tem sido bastante indicada para pacientes com estenose lombar.

Através do Pilates, é possível realizar fortalecimento, treino flexibilidade e equilíbrio e manter os efeitos da estabilização segmentar vertebral.

Por fim, exercícios terapêuticos devem estar sempre presente no dia a dia de quem tem estenose lombar, sobretudo quando o quadro de dor aguda está presente. 

Método RMA

Nosso Método RMA é um programa personalizado que busca avaliar e traçar um plano de tratamento específico para cada paciente e sua condição.

Na avaliação, dispomos de inteligência artificial que auxilia o fisioterapeuta especialista a selecionar características do paciente e a escolher as técnicas mais indicadas para ele.

Cada tratamento é individualizado e possui acompanhamento completo do fisioterapeuta em todas as fases. 

Conclusão 

É fundamental que o paciente com dor crônica na região lombar procure um diagnóstico adequado da sua patologia e o que está causando o problema. 

Assim, de posse do diagnóstico, o tratamento pode ser instituído e com boa aderência ao tratamento, o paciente não precisará mais conviver diariamente com dor aguda. 

Portanto, é essencial que os exercícios tenham acompanhamento profissional e sejam realizados de maneira adequada. 

Com exercícios e  técnicas de analgesia, o paciente pode, inclusive a longo prazo, diminuir o uso de medicação analgésica.

Agendar sua Avaliação

Por Helder Montenegro Revisão 07/fev - 2022
Todo o conteúdo deste website é produzido e de reponsabilidade da equipe que compõe o ITC Vertebral.