Qual médico de coluna é o especialista ideal?

médico-de-colunaNa maioria das vezes, quando alguém tem um problema de saúde, sabe qual médico recorrer. Por exemplo, no caso de fraturas, a pessoa procura um ortopedista. Se o problema for cardíaco, o especialista seria o cardiologista. No caso das crianças, a especialidade médica mais adequada é a pediatria. Porém, nem sempre é tão fácil assim determinar o tipo de médico mais adequado. No caso de uma dor nas costas, por exemplo, você saberia dizer qual é o médico de coluna?
Pois é. Para se ter uma ideia, a ortopedia e a reumatologia são especialidades que praticamente andam juntas. Assim como a neurocirurgia, que realiza operações na coluna. Portanto, uma simples dor nas costas pode confundir muita gente. Além disso, fazer com que essas pessoas percam tempo e dinheiro migrando de um consultório a outro até encontrar o médico capaz de resolver o problema.
No Brasil, o Conselho Federal de Medicina reconhece 53 especialidades médicas. De acordo com o presidente da Sociedade Brasileira de Clínica Médica, Antonio Carlos Lopes, para evitar a confusão na hora de procurar um médico, o primeiro especialista deve ser o clínico geral. Lopes, que também é professor da Universidade Federal de São Paulo, afirma que 80% das queixas dos pacientes podem ser resolvidas pelo clínico, e quando não, ele mesmo faz o encaminhamento para outras especialidades. Isso porque o clínico não pode realizar certos procedimentos.
Por isso, saber a quem recorrer em casos de problemas de saúde é fundamental, principalmente para um diagnóstico precoce no caso de um problema na coluna. Assim, neste artigo vamos explicar em detalhes qual médico de coluna é o mais indicado para cada tipo de problema.

Que médico de coluna procurar?

Imagine este cenário. A pessoa está com uma dor no peito que começa a piorar e irradiar para o braço. Em geral, essa pessoa sai a procura de um cardiologista. Ali ele faz exames que não acusam nada, mas o braço adormece e ela segue para um neurologista. Este, por sua vez, também não detecta o problema e encaminha o paciente para um reumatologista e depois para o ortopedista. Ou seja, o paciente passou por quatro especialistas diferentes, perdeu tempo e dinheiro, sendo que o clínico geral poderia muito bem ter tratado o paciente ou encaminhá-lo diretamente para o especialista mais adequado.
Normalmente, esta é uma típica questão cultural de inversão de valores. No Brasil, as pessoas costumam procurar o caminho mais difícil ao invés do meio mais fácil. Muitas vezes, recorrem ao “doutor Google” pelos sintomas e, automaticamente, acham que já sabem a quem devem recorrer.
No caso de uma dor nas costas, o profissional deve ser um médico especialista em coluna. O que nos leva a três alternativas dependendo das causas, dos sintomas e do diagnóstico do problema. O ortopedista, por exemplo, cuida de ossos e traumas, como fraturas, torções e luxações, além de tumores ósseos, pé chato, osteoartrose e deformidades da coluna.
O reumatologista trata de doenças que comprometem ligamentos, tendões, articulações, músculos e, em alguns casos, os ossos. E ainda temos o neurocirurgião, que é o médico especialista capaz de desempenhar cirurgias na coluna.

Quem é o médico de coluna?

Em geral, o médico de coluna especialista é um ortopedista, reumatologista, fisiatra intervencionista ou um neurocirurgião. As quatro especialidades estudaram e se dedicaram especialmente às condições, lesões e doenças da coluna cervical, sem que haja diferenciação entre eles em termos de qualidade.
No entanto, o fisiatra intervencionista ainda é raridade aqui no Brasil, mas um profissional muito conhecido no exterior. A especialidade está se tornando cada vez mais conhecida por aqui devido à nova visão que vem trazendo para o tratamento da coluna.
Na maioria dos casos, esses profissionais são médicos experientes, com capacitação em avaliar, diagnosticar e tratar indicando o tipo de tratamento ou cirurgia, qualquer tipo de queixa relativa à coluna vertebral.
A diferença é que cada um dos profissionais teve o seu estudo acadêmico focado em áreas diferentes. No caso desses profissionais com a especialização em cirurgia da coluna, a competência para o tratamento é nivelado com a atualização em áreas abrangentes que envolvem ambos os domínios de cada especialidade. Assim, estes profissionais estarão sempre em contato com as mais recentes descobertas e técnicas cirúrgicas da coluna.
Em geral, tanto o ortopedista, como o reumatologista, o fisiatra intervencionista e o neurocirurgião especializados em cirurgia da coluna, fazem parte da SBC – Sociedade Brasileira de Coluna.

Médico Ortopedista

O ortopedista é especializado no sistema músculo-esquelético e pode também realizar cirurgias se tiver esta especialidade. Assim, cuida de problemas relacionados a ossos e traumas, como fraturas, torções e luxações, tumores ósseos, pé chato, osteoartrose e deformidades da coluna.

Médico Reumatologista

O reumatologista trata as doenças inflamatórias nas articulações, nos músculos, ossos, tendões e bursas.

Neurocirurgião

O neurocirurgião especializado em coluna cuida do cérebro e sistema nervoso central. Para tanto, os casos de doenças mais graves que acometem o sistema nervoso central e periférico ele é o mais indicado. A avaliação do neurocirurgião é importante para descartar a possibilidade de tratamento cirúrgico em doenças da coluna.

Fisiatra Intervencionista

O fisiatra intervencionista é um médico de coluna especializado na realização de procedimentos minimamente invasivos.

Quando procurar o médico de coluna?

médico-de-colunaAs dores na coluna podem aparecer a qualquer momento e algumas vezes desaparecer sozinhas. Mas em 40% dos casos, os pacientes têm dor crônica na coluna que pode durar mais de três meses. Caso a dor nas costas não melhore após um mês, é necessário procurar um médico especialista em coluna.
O médico especialista em coluna deve estar sempre atualizado sobre as mais recentes tecnologias no diagnóstico e no tratamento de problemas na coluna. De acordo com a
OMS, 80% da população tem algum problema na coluna, sendo que a dor nas costas é a principal causa de queixa entre pessoas com menos de 45 anos.
Sendo assim, são milhões de pessoas que podem ter a qualidade de vida comprometida devido à algum tipo de doença na coluna vertebral. Felizmente, na maioria dos casos, o problemas é simples de tratar, basta passar por um clínico e começar um tratamento conservador.
No entanto, alguns problemas graves da coluna, como: hérnia de disco, estenose de canal, ou artrose na coluna necessitam de tratamento médico para não se tornarem crônicas. Por esta razão, encontrar o profissional adequado é fundamental para tratar do problema.
Ninguém precisa de um especialista para identificar os sintomas de dor na coluna, afinal a dor nas costas é fácil de reconhecer. O importante aqui é descobrir a causa da dor. Na maioria dos casos, o problema está na coluna vertebral, onde ficam localizadas as vértebras, discos e nervos que se encaixam entre si e são responsáveis por todo o movimento do corpo. É essa proximidade e contato entre as partes envolvidas que costumam causar os problemas na coluna.
No entanto, nem todas as doenças da coluna são fáceis de ser diagnosticadas, pois apresentam diversos outros sintomas que devem ser investigados. Portanto, é aqui que entra um diagnóstico preciso capaz de ser realizado apenas por um médico de coluna.

Sintomas de problemas de coluna:

No caso de um ou alguns desses sintomas abaixo é necessário procurar um médico de coluna, para diagnosticar o tipo de problema na coluna vertebral:

    • Dor que irradia para os braços e pernas;
    • Dor de cabeça junto às dores nas costas;
    • Dor nas costas em pacientes com menos de 20 anos ou acima dos 55 anos, não recorrentes de episódios anteriores;
    • Casos de trauma com impacto: acidentes, quedas ou contusões;
    • Dor crônica, que não melhora com o decorrer do tempo (mais do que 6 semanas);
    • Dor nas costas com dor no peito;
    • Histórico médico de tumor (câncer de próstata, mama, ovário e útero);
    • Dor nas costas associada ao uso de corticóides por tempo prolongado;
    • Imunidade comprometida;
    • Redução da capacidade do movimento;
    • Alteração de sensibilidade e de força nos membros;
  • Surgimento de deformidade na coluna, como uma curvatura recente.

Causas de dores nas costas

Através dos sintomas descritos e de um exame clínico, o médico de coluna especialista será capaz de diagnosticar as causas das dores nas costas e indicar o melhor tratamento. As dores nas costas podem estar relacionadas a problemas mais sérios na coluna vertebral como outras condições médicas que acabam causando este sintoma.
Tanto nos casos mais simples ou de doenças de coluna mais graves, é fundamental algumas mudanças de hábito e atitudes como parte do tratamento para melhorar a dor nas costas e evitar a sua recorrência.
Isso porque a dor nas costas pode ser provocada por maus hábitos da sua rotina cotidiana, como por exemplo:

    • Má postura;
    • Levantamento de peso excessivo;
    • Movimentos bruscos e repetitivos;
    • Sobrepeso;
    • Falta de exercícios físicos (sedentarismo);
    • Tabagismo;
    • Uso constante de salto alto;
  • Estresse, depressão e ansiedade.

Problemas relacionados à coluna vertebral

Normalmente, as dores nas costas estão relacionadas a problemas ou doenças da coluna vertebral. Assim o médico de coluna especialista vai verificar os problemas abaixo dentre as causas dos sintomas apresentados:

  1. Hérnia de Disco:

Neste caso, o médico de coluna especialista é o ortopedista ou um neurocirurgião. A hérnia de disco é caracterizada pelo rompimento do revestimento externo do tecido mole central dos discos intervertebrais, comprometendo um ou mais discos. Normalmente, a hérnia de disco é causada pelo desgaste e impacto das vértebras com os discos. Os sintomas se apresentam como dor na parte inferior das costas, no quadril e até nas pernas, quando os nervos são pressionados.

2. Protusão discal:

A protusão discal é quando não há o rompimento do revestimento externo fibroso rígido dos discos, mas quando uma protusão formada empurra as raízes nervosas contidas nos discos intervertebrais contra a parede da medula.

3. Doença degenerativa do disco:

Os discos sofrem degeneração e lesões conforme o passar dos anos, e assim deixam de desempenhar o seu papel de amortecimento entre as vértebras. Isso faz com que essas vértebras entrem em contato uma com a outra e se desgastem, causando dores na coluna na área mais afetada.

4. Inflamação e desgaste da articulação sacroilíaca:

A articulação sacroilíaca fica localizada entre a sua coluna vertebral e a pélvis. Apesar de não se mover muito, ela é sobrecarregada ao transferir a carga da parte superior do corpo para a parte inferior. Normalmente, as inflamações e desgastes da cartilagem articular podem ocorrer após lesões, artrite, infecção, ou até mesmo devido a gravidez.

5. Estenose espinhal:

A estenose espinhal é o estreitamento do canal vertebral que causa pressão sobre a coluna e os nervos. Consequentemente, as pernas e ombros podem adormecer.

6. Radiculopatia cervical:

A radiculopatia cervical é causada pela compressão de um nervo da coluna cervical, ou seja, no pescoço. Geralmente é causada por um esporão ósseo ou uma hérnia de disco facilmente localizados em exames de imagem solicitados pelo médico de coluna especialista.

7. Espondilolistese:

A espondilolistese caracteriza-se pelo deslizamento de um osso na coluna vertebral para frente sobre uma vértebra, normalmente na coluna lombar. A causa determinante para esta condição é a artrite reumatoide, que enfraquece as articulações e ligamentos que mantêm a coluna alinhada.

8. Fraturas vertebrais:

Em alguns casos, impactos fortes como uma queda ou acidentes, podem causar fraturas de vértebra na coluna vertebral. A osteoporose, uma condição que enfraquece os ossos, também costuma acarretar fraturas em simples quedas.

9. Entorses e distensões:

A dor nas costas também pode ser causa de lesões em ligamentos, músculos e tendões que suportam a coluna vertebral e suas articulações. Normalmente, essas entorses e lesões são acarretadas por movimentos bruscos de torção durante o movimento, em casos de acidentes de carro e lesões esportivas.

10. Espasmos:

Normalmente, os espasmos acontecem quando os músculos e tendões são lesionados na região inferior das costas (coluna lombar), durante o levantamento de peso excessivo ou outros esportes.

Problemas relacionados a condições médicas

O médico de coluna especialista pode identificar como causa da dor na coluna outras condições médicas degenerativas e ósseas associadas à coluna vertebral, que normalmente causam esse tipo de dor localizada. Como por exemplo, nas condições abaixo:

1. Artrite Reumatóide:

A artrite reumatóide é uma doença articular que provoca rigidez, inchaço e inflamação nas juntas, de forma bilateral simétrica (ambos os lado do corpo).

2. Artrose (Osteoartrite):

A artrose é uma doença articular degenerativa que ocorre devido a redução na cartilagem das articulações provocando o atrito com os ossos.

3. Espondilite anquilosante:

A espondilite anquilosante é um tipo de artrite que afeta as articulações e ligamentos ao longo da coluna vertebral.

4. Escoliose:

A escoliose é uma curvatura da coluna vertebral que geralmente vem de nascimento e agrava na vida adulta. Em alguns casos, a curvatura fica muito acentuada e pode exigir cirurgia de fusão espinhal, normalmente realizada pelo médico de coluna neurocirurgião.

5. Gravidez:

O peso adquirido na gravidez e a adaptação da coluna ao útero, principalmente nos últimos meses, pode pressionar suas costas e levar ao aparecimento de uma protusão ou hérnia de disco por exemplo, e causar dores na coluna.

6. Tumores:

Apesar de raro, em alguns casos, é possível detectar um câncer ósseo de coluna. Normalmente, são casos de metástase de câncer que começou em outro lugar do seu corpo.

Tipos de tratamentos para problemas na coluna

médico-de-colunaComo vimos, diagnosticar um problema da coluna pode apresentar um desafio ao médico de coluna, pois são muitas as causas. No entanto, determinando a causa, existem diversas opções de tratamento, mas somente o seu médico de coluna especialista será capaz de dizer qual é o tratamento mais adequado ao seu caso.
O médico de coluna irá dar todas as informações detalhadas a respeito dos métodos e principalmente dos resultados que um determinado tipo de tratamento pode oferecer. Dessa forma, fica mais fácil decidir pelo tipo de tratamento que deseja fazer.
Dependendo da causa de sua dor nas costas, o médico de coluna especialista irá recomendar mudanças de estilo de vida, medicação, fisioterapia e, em último caso, uma cirurgia. Portanto, podemos dividir os tratamentos para a coluna em três categorias:

Tratamentos Conservadores

Os tratamentos conservadores são realizados a base de medicamentos e fisioterapia. Neste caso, tanto um clínico quanto um ortopedista e um reumatologista podem iniciar o tratamento.
O tratamento inicial é feito através do uso de medicamentos anti-inflamatório, analgésico e relaxante muscular, para diminuir a dor e ajudar a combater o processo inflamatório. Há casos em que a fisioterapia ou manipulação são associadas com o intuito de aliviar a dor nas costas durante essa etapa do tratamento. No entanto, caso o tratamento conservador não apresentar melhora da coluna do paciente, normalmente, a próxima etapa fica a cargo dos procedimentos minimamente invasivos ou da cirurgia de coluna.

Tratamentos não Cirúrgicos para a Coluna

Uma opção na abordagem para os problemas de coluna, é o tratamento não cirúrgico através de procedimentos minimamente invasivos. Neste caso, o profissional responsável pela realização dos procedimentos minimamente invasivos é o fisiatra intervencionista.
Sendo um médico de coluna especialista, o fisiatra intervencionista faz uso de tecnologias modernas de imagem para realização de um diagnóstico preciso. Como por exemplo, tomografia, PET Scan e ressonância magnética.
Normalmente, os tratamentos com procedimentos minimamente invasivos podem ser realizados nos músculos ou ligamentos, ossos, articulações, discos intervertebrais e nervos. Sendo que a abordagem tem a vantagem de não haver cortes durante os procedimentos, colocação de parafusos e intervenções cirúrgicas.
O intuito é proporcionar uma melhora no “ciclo da dor”, permitir que o paciente se engaje em alguma atividade de fortalecimento e trabalhar na prevenção de intercorrências. Neste tipo de procedimento, o paciente entra e sai andando em duas horas, não precisa de acompanhante e não há anestesia, proporcionando uma recuperação mais rápida.
Os procedimentos minimamente invasivos incluem a ablação por radiofrequência, bloqueio facetário, epidural ou seletivo, discografia provocativa, injeção intra-articular e endoscopia.

Tratamento através de Cirurgia de Coluna

A cirurgia de coluna convencional é um procedimento mais arriscado, normalmente apenas realizado em último caso, quando se esgotaram todas as outras opções possíveis. Na verdade, apenas 5% dos problemas na coluna necessitam de cirurgia. Neste caso, o procedimento é feito por um ortopedista cirurgião ou neurocirurgião.
É importante ressaltar que mesmo nos casos em que a cirurgia de coluna é necessária, o resultado pode não ser o esperado devido ao procedimento extremamente invasivo. Nestes casos, não há como se levar em consideração a estrutura natural da coluna vertebral, o que pode trazer graves consequências a longo prazo, comprometendo o equilíbrio e o alinhamento da coluna do paciente. Assim, a cirurgia de coluna ainda pode acarretar novos problemas na coluna vertebral.

Conclusão

Como vimos, existem muitos profissionais qualificados que podem atuar como “médico de coluna especialista”. Assim, após detectar os seus sintomas e determinar as causas, será bem mais fácil escolher o médico de coluna mais adequado e o tipo de tratamento para o seu problema.]]>

A maior franquia de fisioterapia do mundo


Clínicas

Mais de 75 clínicas no Brasil com ampliação internacional

Equipe

Mais de 236 fisioterapeutas em todo o Brasil

Melhores do Brasil

Estamos entre as 10 melhores franquias para se investir no Brasil

Tratamentos

Conheça o método não cirúrgico que tratou mais de 33.000 pacientes